sexta-feira, 21 de outubro de 2005

HIV - Campanha em Moçambique.

HIV em Moçambique - Campanhas devem aliar informação à cultura.

Presidente moçambicano admitiu falhas na luta contra a sida no país.
O presidente moçambicano defendeu ontem a necessidade de se reformularem os conteúdos das mensagens nas campanhas de luta contra a sida em Moçambique e a sua adequação aos comportamentos das diferentes comunidades do país.
“As campanhas de prevenção revelam as suas próprias limitações”, admitiu Armando Guebuza na abertura do VII curso de formação pan-africano sobre o programa de controlo, prevenção e tratamento contra o HIV, que arrancou em Maputo.
“A informação e a educação quando não são articuladas com o conhecimento, tradição e cultura das populações aparentam não surtir os efeitos desejados na redução das taxas de prevalência da doença”, sublinhou.
Infectados 19 por cento de adultos.
Dados oficiais indicam que 16 por cento da população adulta de Moçambique (entre os 15 e 49 anos) está infectada pelo HIV.
De acordo com os mesmos dados, 95 por cento dos casos de infecção resultam de relações sexuais desprotegidas.
Para reverter a situação, Guebuza considerou pertinente a unificação de esforços, recursos e capacidades para reforçar a prevenção, tratamento e mitigação dos efeitos da sida no país.

Nenhum comentário: