terça-feira, 29 de novembro de 2005

Moçambique contradição - País pobre com opção turística cara...

Moçambique: uma das mais caras pérolas do Índico.
Quando se fala em promover o turismo em Moçambique, os operadores são unânimes: trata-se de um destino demasiado caro para ser acessível a um número significativo de pessoas.
A falta de voos internacionais encarece sobremaneira a visita de turistas ao país, aliada a uma oferta pouco diversificada e ainda cara de passagens aéreas no interior do país.
Estes dois factores, conjugados com uma carência de infra-estruturas de apoio, designadamente hotéis e empresas que organizem excursões e outras actividades do género, infra-estruturas de saúde adequadas, escassez de serviços de restauração, transporte e lazer fora da cidade capital, custo e morosidade no processo de obtenção de visto, entre outros, fazem com que Moçambique não seja um destino apetecível e competitivo, comparativamente a outros espalhados pelo continente e pelo mundo.
O governo moçambicano espera que a realização deste XXI Congresso da APAVT em Maputo, que atraiu cerca de 500 participantes do sector do turismo, promova o país junto à comunidade portuguesa e leve a um aumento significativo do número de turistas que procuram esta “pérola do Índico”.
Segundo dados do Ministério do Turismo, no ano passado entraram cerca de 700 mil turistas em Moçambique.
O governo espera contudo, que este número possa aumentar para cerca de quatro milhões nos próximos anos.
(Maura Quatorze)
Via: "mediaFax" - Edição 3.417 de 29/11/2005 - mediafax@tvcabo.co.mz

Nenhum comentário: