terça-feira, 6 de dezembro de 2005

Mocimboa da Praia...ainda ! - XIII

Suspenso responsável pela matança.
Maputo – O comandante que deu ordens para matar manifestantes da sublevação política de Setembro, em Mocímboa da Praia (MP), no norte de Moçambique, continua suspenso e privado de receber os seus ordenados.
Buanassuro Verdade, foi suspenso pouco depois das violentas manifestações em Mocímboa da Praia, opondo apoiantes da Renamo e da Frelimo e a polícia que provocaram a morte de pelo menos 12 pessoas e 50 feridos.
“O conflito de Mocímboa da Praia criou-me problemas sérios, que levaram a minha suspensão até hoje”, confirmou Verdade, a suspensão em entrevista ao mediaFAX.
No comando da polícia em Cabo Delgado, ninguém ousa abordar a suspensão, e, falta de salário de Buanassuro Verdade.
“Esse assunto de Buanassuro quem pode responder é o porta-voz, eu não sei nada”, respondeu Francisco Dyiomba, do comando em Cabo Delgado, diante da insistência do mediaFAX.
Numa situação de suspensão, está igualmente o porta-voz do comando em Cabo Delgado, Alexandre Chigulane, que responsabilizou em entrevista à rádio nacional, RM, os membros da Frelimo, no poder pelo desencadear das hostilidades nos dias 5 e 6 de Setembro em Mocímboa da Praia.
A responsabilização pública dos simpatizantes e membros da Frelimo, pelo início das escaramuças valeu-lhe a suspensão, comentou uma fonte próxima aos acontecimentos em Cabo Delgado.
Nos círculos oficiais não são conhecidas as razões da destituição de Chigulane ocorrida há quase 10 dias.
“Ele disse besteiras sobre os acontecimentos em Mocímboa da Praia”, referindo-se aos factos constatados no terreno.
As declarações caíram mal ao poder.
“Que fui substituído é verdade, mas eu não posso dizer nada à imprensa porque não estou autorizado”, confirmou Chigulane, que esteve no cargo, durante os últimos cinco anos, em entrevista ao mediaFAX.
“É verdade que Alexandre Chigulane foi substituído do cargo de porta-voz do comando, mas isso não significa que haja problema”, comentou uma fonte sénior do Comando em Cabo Delgado.
Acrescentou que “a destituição ocorreu há dias, e, enquadra-se num processo de rotação de quadros do comando provincial e dos comandos distritais”.
Um novo porta-voz do comando foi já nomeado.
Trata-se de Gerónimo Afonso Amisse, confirmou o comandante provincial da polícia de Cabo Delgado, Francisco Vontade.
O ambiente em Mocímboa da Praia, epicentro das sangrentas manifestações políticas de Setembro, continua a ser marcado por um grande nervosismo.
Durante a visita do líder da Renamo àquela vila, semana passada, este prometeu converter a região em sede nacional da Renamo, a maior força da oposição, num gesto visto como de veneração a resistência do seu povo.
Desde as eleições intercalares de Maio, que a vila de Mocímboa da Praia vive sob uma forte tensão política, após a recusa da Renamo em aceitar os resultados eleitorais que deram vitória à Frelimo.
A Renamo descreveu os resultados do plebiscito, como tendo sido viciados a favor do candidato da Frelimo, Amadeu Pedro Francisco, que venceu a eleição com uma estreitíssima margem de 52 por cento contra 47 por cento, do candidato da Renamo, Saíde Assane.
(M M/Redacção)
Via: mediaFAX - Maputo, segunda-feira, 06.12.05, edição n.º 3423

Nenhum comentário: