terça-feira, 17 de janeiro de 2006

A PEMBA do Júlio Carrilho XXIV

OS EDIFÍCIOS PÚBLICOS - Sedes dos Bancos.
Os casos apresentados testemunham uma atitude muito diferente do projectista em relação à dúplice exigência de realizar um edifício representativo e inseri-lo num contexto de construções mais antigas.
Abaixo, na primeira imagem, o projectista do Banco Nacional Ultramarino (actualmente Banco de Moçambique) insere o seu projecto (DCU-Arquivo da Direcção, Construção e Urbanização da Municipalidade de Pemba.) com indiferença pelo contexto, estando principalmente preocupado com um resultado funcional.
Pelo contrário, o projectista (arq. Amâncio Miranda d'Alpoim Guedes) do Banco Standard Totta (actualmente Standard Bank), cujo projecto aparece nas segunda e terceira imagens abaixo, conserva as antigas estruturas das paredes, mas sobrepõe uma nova fachada e redesenha completamente o interior.
O título desta série de imagens leva o nome do Arquiteto Júlio Carrilho por ser (sem desmérito aos demais autores) um dos obreiros desta publicação da FAPF e, em simultâneo, ter sua origem de nascimento no belo recanto de Cabo Delgado.
Poderão ver este e demais textos com imagens em:Home Pemba - História em Imagens e Textos(http://geocities.yahoo.com.br/historiapemba/) .
Fotos e textos extraídos da recente publicação "Pemba as duas cidades" de autoria da Sandro Bruschi, Júlio Carrilho e Luis Lage.
Edição FAPF (Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico da Universidade Eduardo Mondlane - Maputo - http://www.architecture.uem.mz/
Clique nas imagens para ampliar.
Continuaremos colocando aqui, nos próximos tempos, imagens inéditas de Pemba e textos deste excelente trabalho "Pemba as duas cidades".
Agradecemos aos autores e a Z. N. C.

Nenhum comentário: