sexta-feira, 17 de março de 2006

O assassínio do deputado da RENAMO - II

Por alegadas perseguições - Deputado Mascarenhas ia abandonar o País - 2006/03/17.

A morte do deputado da AR pela Renamo-UE José Mascarenhas continua a ser tema de conversa nos círculos políticos, pretendendo-se saber das motivações do bárbaro assassinato.

Segundo fontes próximas do malogrado, ele sabia que estava a ser perseguido, tendo admitido a possibilidade de refugiar-se em Portugal, onde nasceu.
Mascarenhas teria enviado várias SMS para alguns dos seus amigos, entre os quais Jerónimo Malagueta, com o seguinte teor:
`Estou a caminho da Zambézia. Tive de parar na Beira para resolver alguns problemas. Caso demore, irei pedir a suspensão do mandato. Como isso está quente com alguns patifes do poder...´
Informações colhidas na Beira dão conta que José Mascarenhas tinha hospedagem registada em dois estabelecimentos hoteleiros, nomeadamente no hotel Miramar e na Pensão Moderna, como forma de desviar a atenção dos prováveis perseguidores.
Consta, também, que o malogrado terá deixado duas cartas uma dirigida a uma família e outra a um destacado membro da Renamo.
Não se sabe do conteúdo das referidas cartas.
As fontes dão conta que, no dia da sua morte, Mascarenhas teria estado num café situado na praça do Município, na Beira, na companhia de Luís Manuel Carrelo, seu amigo de longa data. Não se sabe o que os dois estariam a debater, sabendo-se, no entanto, que se separaram cerca das 21 horas.
No dia seguinte, o seu corpo viria a ser encontrado sem vida pela PRM, que está a seguir o caso.
Soubemos que membros da família Carrelo estão a ser ouvidos pela Polícia, como parte das investigações sobre o crime.
O presidente da AR, Eduardo Mulémbwé, disse esperar que as investigações em torno das circunstâncias do assassinato do deputado José Gaspar Mascarenhas, revelem a verdade.
O passo seguinte seria responsabilizar, de forma exemplar, os autores do bárbaro crime.
Entretanto, o presidente da RUE, Afonso Dhlakama, fez um breve discurso de improviso, manifestou a sua preocupação em ver o caso esclarecido por forma a que os criminosos sejam punidos de acordo com a lei.
As opiniões em torno da morte de Mascarenhas estão divididas, porém, desaguam num denominador comum: motivações políticas...
fonte: SAVANA/Imensis

Nenhum comentário: