sábado, 21 de outubro de 2006

Projecta-se expansão dos aeroportos do norte.


Os aeroportos da região norte do país, nomeadamente de Pemba e Nacala, deverão ser melhorados para responder à demanda do crescimento do turismo. No quadro deste programa, foram assinados ontem, na capital do país, acordos para a realização de estudos de expansão e estabelecimento do respectivo plano-director de desenvolvimento, tendo em conta os próximos 20 anos.
Os acordos foram celebrados pela Agência de Comércio e Desenvolvimento dos Estados Unidos (USTDA), representada pela respectiva directora-adjunta, Leocádia Zak, cuja instituição concedeu um total de 444.809 dólares americanos e pela Empresa Aeroportos de Moçambique, na pessoa dos administradores António Loureiro e Hermenegildo Mavale.
Assinou ainda o convénio a encarregada de Negócios da Embaixada dos Estados Unidos da América, Elizabeth Raspolic.
O montante é dirigido ao desenvolvimento geral dos sectores da aviação e do turismo no país, na sustentação dos objectivos de desenvolvimento económico.
Nesse sentido, vão se realizar estudos para determinar os requisitos associados com a expansão e melhoramento dos aeroportos de Pemba e de Nacala e o impacto dessa possível expansão no de Vilankulo.
De acordo com António Loureiro, o estudo vai, numa primeira fase, avaliar o potencial de crescimento do tráfego dos aeroportos de Nacala, Pemba e Vilankulo e depois será seleccionado um na região norte entre Nacala e Pemba, que será alvo da elaboração de um plano-director de crescimento que deverá indicar os desenvolvimentos que vão ocorrer nos próximos 20 anos. Falando sobre o assunto, Loureiro disse que este é o segundo acordo deste tipo que é assinado com a Agência do Comércio e Desenvolvimento dos Estados Unidos.
O primeiro teve como resultado o estudo do plano de navegação aérea já em curso. Como resultado do referido plano de navegação, reportam-se melhoramentos de condições de segurança aérea nos últimos anos em Moçambique, em particular na cobertura das comunicações em VHF.
Espera, pois, que o segundo acordo venha a proporcionar ainda uma maior segurança.
O estudo em segundo a fonte, enquadra-se nos princípios e objectivos da Aeroportos dos Moçambique para o triénio 2006/2008, do qual fazem parte os projectos de remodelação e ampliação das aerogares de Pemba e Vilankulo, assim como a conversão do aeródromo militar de Nacala em aeroporto civil.
Por seu turno, Leocádia Zak indicou que o acordo surge da constatação do rápido desenvolvimento das infra-estruturas e uma parte desse crescimento pode ser relançado com investimentos nos aeroportos que poderão propiciar o turismo na região.
Maputo, Sábado, 21 de Outubro de 2006:: Notícias

Nenhum comentário: