sábado, 18 de novembro de 2006

Moçambique - Dinamarca financia II fase de fibra óptica.


O reino da Dinamarca acaba de colocar à disposição do Governo de Moçambique cerca de 15 milhões de euros para o financiamento da segunda fase do projecto da rede nacional de transmissão, ligação em fibra óptica.
O acordo para a concessão deste crédito misto (inclui uma parte de donativo), a uma taxa de juro de zero porcento, foi rubricado ontem em Maputo pelo Ministro das Finanças, Manuel Chang, e pelo primeiro vice-presidente do Nordea Banc da Dinamarca, Egil Rindorf. Trata-se de um projecto a ser implementado pela empresa Telecomunicações de Moçambique (TDM) e que compreenderá a ligação em fibra óptica entre as cidades de Cuamba-Lichinga, Nampula-Pemba e Chimoio-Tete-Caia, enquadrado no programa de desenvolvimento de infra-estruturas do sector dos Transportes e Comunicações. Segundo dados divulgados na ocasião pelo presidente do Conselho de Administração da TDM, Joaquim de Carvalho, os trabalhos no terreno deverão começar entre Abril e Maio do próximo ano. Espera-se que a primeira fase do projecto, ora em curso e avaliada em 13 milhões de euros (também financiados pela Dinamarca), esteja concluída até ao final do primeiro trimestre do próximo ano. Com a conclusão das duas fases, em finais de 2008, Moçambique terá todas as capitais provinciais ligadas por fibra óptica. O passo seguinte será aquilo que se chama, em linguagem de telecomunicações, "redundância", ou seja, criação de ligações alternativas para serem usadas em caso de avaria. Falando momentos após a assinatura do acordo, Manuel Chang disse que o financiamento representa o reconhecimento do Governo dinamarquês da importância do desenvolvimento do sector de infra-estruturas dos Transportes e Comunicações. Disse, igualmente, que o financiamento enquadra-se no programa quinquenal do Governo e nos esforços para promover o crescimento e reduzir a incidência da pobreza absoluta no país, onde, para este sector, se elegem, dentre outras prioridades, a reabilitação de infra-estruturas, incentivo à melhoria de qualidade na prestação de serviços e o desenvolvimento de uma rede de transmissão em banda larga para satisfazer as necessidades do mercado de comunicações. Enquanto isso, o primeiro vice-presidente do Nordea Banc da Dinamarca reiterou o compromisso da sua instituição no financiamento de iniciativas no sector dos Transportes e Comunicações e não só. A assinatura do acordo foi testemunhada pelo Ministro dos Transportes e Comunicações, António Munguambe.
Maputo, Sábado, 18 de Novembro de 2006:: Notícias

Nenhum comentário: