quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Produtos fora do prazo apreendidos em Pemba.


Em vésperas da quadra festiva do Natal e do fim-do-ano, a Direcção Provincial do Comércio e Indústria de Cabo Delgado diz ter apreendido recentemente avultadas quantidades de produtos fora de prazo de consumo e que estavam à venda em diferentes estabelecimentos comerciais da cidade de Pemba, cujos nomes se recusa a revelar.
A operação envolveu o Conselho Municipal, as direcções do Trabalho e da Saúde da cidade e a Polícia da República de Moçambique.
Entre os produtos apreendidos em cinco estabelecimentos comerciais, conforme Mateus Matusse, director provincial do Comércio e Indústria, contam-se 627 caixas de água mineral em embalagens de meio e um litro e meio, 26 caixas de tinta para bolos, sumos e massas de tomate em quantidades não especificadas. Entretanto, Mateus Matusse, absteve-se de fornecer a identidade dos estabelecimentos infractores, limitando-se a dizer aos jornalistas que se estava a trabalhar no assunto. "Está-se a trabalhar com o Centro de Higiene Alimentar e Exames Médicos para o processo que se segue, da destruição de todos os produtos fora do prazo", disse Mateus Matusse. Por outro lado, o director provincial do Comércio e Indústria afirmou ter sido constituído um fórum com vista a fazer tudo para que nada falhe na quadra festiva que se avizinha, composto pela EDM, Empresa de Água, PRM, Direcção Provincial das Finanças, o Turismo, entre outras instituições que de uma ou de outra forma intervêm ou influenciam no decurso do período festivo. Matusse deu a conhecer, por outro lado, que as equipas no terreno estão a sensibilizar os agentes económicos para evitarem o oportunismo que acontece nas quadras festivas, bem como no sentido de se organizarem atempadamente. Outros incentivos aos comerciantes terão lugar, incluindo a promoção de concursos de montras em Pemba e na cidade de Montepuez, cujos requisitos para a participação passam pelos preços, atendimento e ornamentação. A batata, segundo soubemos, é o único produto que nos últimos tempos aumentou de preço, para mais de cinco meticais da nova família em relação ao praticado há um mês, passando a custar 15 Mtn a vermelha e 20 Mtn a batata branca. "Até aqui está tudo na mesma. Se calhar este ano vamos ter a surpresa de não sermos 'fustigados' durante as festas. Aliás, o que é normal em muitos países e em comerciantes que melhor entendem da matéria, é baixar os preços em quadras festivas, por haver muita gente a comprar e porque os comerciantes não perdem nada, pelo contrário ganham", observou uma dona de casa contactada pela nossa Reportagem no chamado Mercado das Batatas. As primeiras informações que nos chegam das casas de hospedagem da cidade de Pemba sugerem que desde finais de Outubro que havia poucos quartos para acolher mais hóspedes que, como sempre, pretendem passar o fim-do-ano em Pemba. "Mais uma semana e já será possível falar com certeza sobre a disponibilidade que resta a Pemba para acolher mais gente, pelo menos aqueles que vêm para os hotéis, residenciais e pensões", disse fonte não oficial ligada ao aluguer de casas particulares, principalmente em período de maior afluência em Pemba.
Maputo, Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2006:: Notícias

Nenhum comentário: