quinta-feira, 19 de julho de 2007

O Ministério para os Assuntos dos Antigos Combatentes reúne-se a partir de hoje na cidade de Pemba.

MAAC faz balanço do seu desempenho.
O Ministério para os Assuntos dos Antigos Combatentes reúne-se a partir de hoje na cidade de Pemba, em Cabo Delgado, em VII Conselho Coordenador que se destina a fazer o balanço do desempenho da instituição nos últimos 12 meses.
Fonte ministerial indicou-nos que a presente sessão vai, igualmente, apreciar o plano económico e social para o próximo ano e desenhar estratégias para se imprimir uma nova dinâmica na implementação dos vários instrumentos relativos à vida dos combatentes.
O ministério reúne-se numa altura em que o secretário-geral da Frelimo, Filipe Chimoio Paúnde, acaba de anunciar em Nampula que o processo de fixação de pensões dos combatentes da luta de libertação nacional, estimados em cerca de 30 mil, será concluído até 31 de Dezembro.
Este anúncio foi feito no final de um encontro que Filipe Paúnde manteve com membros da associação local dos combatentes, no prosseguimento da visita de trabalho que vinha efectuando à província de Nampula.
Paúnde referiu na ocasião que tal processo está a decorrer de forma satisfatória e acrescentou que os ministérios das Finanças e para os Assuntos dos Antigos Combatentes estão a trabalhar afincadamente para que os prazos estabelecidos pelo Governo, quanto a esta matéria, sejam integralmente cumpridos.
Não podiamos fazer algo importante de reconhecimento do esforço e abnegação dos libertadores da pátria senão cumprir com as nossas promessas. Os combatentes têm direito a uma vida razoável e porque não melhor? Julgamos que com as suas pensões fixadas estarão criadas as mínimas condições para todos progredirem e concretizarem parte dos seus sonhos, referiu Filipe Paúnde.
No referido encontro com os antigos combatentes, a tónica das intervenções centrou-seàvolta do atraso que se verifica no processo de fixação de pensões facto que, segundo os beneficiários, tem criado transtornos na sua vida.
Na mesma ocasião foi revelado que do total de 2300 antigos combatentes arrolados na província de Nampula apenas 120 não beneficiam das referidas pensões. Contudo, sabe-se que a documentação dos mesmos estáem poder das instituições de direito e que em tempo oportuno estes serão tambémabrangidos pelo processo.
Uma outra preocupação levantada na referfida reunião relaciona-secom as bolsas de estudo para os filhos e outros dependentes dos antigos combatentes. O que os libertadores da pátria pretendem é ver as bolsas mais alargadas, beneficiando assim o maior número possível de dependentes.
Entretanto, há indicações de que a questão das bolsas de estudo estásendo solucionada e já se avançou na perspectiva de um acordo com a Universidade de Lúrio para absorver um número significativo de bolseiros, filhos de antigos combatentes.
A Universidade do Lúrio lecciona neste primeiro ano de funcionamento cursos de Medicina Dentária e Farmácia. Para o próximo ano, serão abertos cursos de Medicina Geral e Agronomia.

Maputo, Quinta-Feira, 19 de Julho de 2007:: Notícias

Nenhum comentário: