sábado, 1 de setembro de 2007

Notícias de Negomano...

Particularidades de Negomano
Para além de se tratar dos mais carenciados postos administrativos de Cabo Delgado e punido pela intransitabilidade da sua única via de acesso durante a maior parte do ano, Negomano deve ser dos menos habitados por homens.
A sua sede não tem mais que 460 habitantes, segundo uns dados, e 667 conforme outros.
Tendo fé nesta última cifra é curioso que, ao contrário do que tem sido quase automático, nos outros pontos do país, em Negomano há mais homens que mulheres.
São 327 mulheres contra 340 homens. Mesmo assim, há polígamos, outros ainda que têm outras mulheres do outro lado da fronteira, em Ntambaswala, Tanzânia.
Há muito que se discute se Negomano podia merecer o estatuto de posto administrativo em função do número dos seus habitantes. Em 1997, eram apenas 3500 em toda a área do posto administrativo de Negomano e hoje, 10 anos depois, ainda não sabemos quantos é que são.
Mesmo para colocação de um posto de saúde, houve que desprezar alguns passos normais da saúde então vigentes, como o facto de não ter 10 mil habitantes para isso merecer.
Na sede de Negomano, as casas para habitação não passam de 125, quatro destas fabricam todos os dias uma bebida tradicional, vulgo “nipa”, seis vendem outros tipos de bebida das destilarias semi-industriais e seis barracas estão por concluir, para engrossarem o número das casas que vendem “grossa”.
Em Negomano fala-se sete/oito línguas: matangwe, ngoni, yau, macua, maconde, swahili e português/inglês.
Mas nas línguas que vêm normalmente da escola quase que só com meia dúzia de pessoas se pode falar: professores, o enfermeiro e o pessoal da migração.
O centro de saúde, pelo menos no dia 8 do mês de Agosto ontem terminado, estava com as portas escancaradas, com os medicamentos à vista, incluindo caixas de soro.
Nem enfermeiro, nem doente, nem ladrões.
Espera-se, entretanto, que Negomano seja povoado nos próximos meses. É que por ironia do destino, éprecisamente aqui onde está em construção a ponte sobre o Rio Rovuma, certamente trará muita gente e, se calhar, os outros da margem esquerda virão preencher os espaços ainda virgens.
Pedro Nacuo - Maputo, Sábado, 1 de Setembro de 2007:: Notícias

Nenhum comentário: