quinta-feira, 4 de outubro de 2007

FREE BURMA - Um post neste dia 4.

Mianmar prende opositores após passagem de missão da ONU.
BANGCOC - As forças de segurança prenderam ontem dezenas de pessoas em uma operação em Rangum menos de 24 horas depois de o enviado especial das Nações Unidas, Ibrahim Gambari, ter tentado convencer a Junta Militar de Mianmar (antiga Birmânia) a pôr fim à repressão e à violência. A ampla operação aconteceu no centro velho da cidade e se concentrou em residências próximas de Shwedagon, um dos pontos emblemáticos para os participantes dos protestos pacíficos, reprimidos a tiros e agressões por soldados e policiais na semana passada.
Os presos, segundo testemunhas citadas por emissoras de rádio ligadas à dissidência birmanesa, foram retirados de casa entre a noite de anteontem e a madrugada de ontem e colocados em caminhões militares, sendo levados a um local desconhecido. As mesmas fontes disseram não saber o número de presos, mas calcularam que chega a várias centenas, e que entre eles estavam famílias inteiras. Entre os detidos na operação está uma funcionária da representação da ONU em Mianmar. A identidade da mulher, 38 anos, não foi revelada para não prejudicar as negociações com as autoridades militares para obter sua libertação, disseram fontes da organização. Também foram presos o marido e os dois filhos dela, confirmou o chefe da representação da ONU, Charles Petrie.
Outros moradores disseram que, na antiga capital birmanesa o clima era tenso: veículos patrulhavam as ruas com soldados portando megafones, por meio dos quais advertiam os cidadãos de que estavam dispostos a realizar mais prisões. Até o momento, a Junta Militar não deu indicações sobre onde estão as pessoas detidas nas últimas duas semanas em Rangum e em outras cidades do país, mas se acredita que o número tenha subido para milhares.
(EFE)-04/10/07

Free Burma!

Nenhum comentário: