quarta-feira, 7 de novembro de 2007

A arte popular reune moçambicanos e brasileiros.

Comunidades artesanais do norte de Moçambique, na África, e do interior de Minas Gerais expõem e vendem seus trabalhos no Pavilhão da Criatividade do Memorial.
Da redação - A mostra URUBU-REI/ENCONTRO DAS TERRAS, em cartaz até 25 de novembro no Pavilhão da Criatividade do Memorial da América Latina, coloca lado a lado objetos artesanais produzidos por distantes comunidades de Moçambique e do interior de Minas Gerais.
A aproximação inusitada se tornou possível graças à atuação de Renato Imbroísi, profissional que há décadas se dedica à valorização da arte popular como fonte de renda no Brasil e agora na África.
No espaço de exposições temporárias do Pavilhão estão, de um lado, objetos artesanais feitos de terra, folhas, sementes e fibras; tecelagem manual, crochê e bordado dos municípios mineiros de Araguari, Carmo do Rio Claro, Limeira do Oeste, Monte Carmelo e Muquém.
Do outro, esculturas de ébano, mantas de palha e ourivesaria das cidades moçambicanas de Pemba, Cabo Delgado, Maputo e Xai-Xai, fruto de projeto desenvolvido por Imbroísi, desde o ano passado, apoiado por uma fundação daquele país.
As peças poderão ser compradas, mediante reserva, até o fim do período de exposição.
A escolha do Urubu-Rei como animal símbolo da exposição é significativa.
Segundo Imbroísi e Maureen Bisilliat, curadora do Pavilhão da Criatividade, é da mistura destes dois lugares do planeta tão distantes um do outro – mas com objetivos semelhantes – que vem “a vontade de voar, voar, voar... como o Urubu-Rei, que alcança a estabilidade bem alto e de lá tudo vê”.
In - Portal Jóia.br - 06/11/07
URUBU-REI/ENCONTRO DAS TERRAS - Pavilhão da Criatividade Darcy Ribeiro/Sala de exposições temporárias - Fundação Memorial da América Latina - Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 - Portão 12 - São Paulo - SP, até 25 de novembro - Entrada franca!

Nenhum comentário: