terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Chiúre - O administrador, o agricultor e as Joaquinas...

(Imagem original daqui)
.
Caso passional agita ambiente em Chiúre.
Maputo, Terça-Feira, 11 de Dezembro de 2007:: Fonte Notícias - Uma disputa passional envolvendo a figura do administrador distrital está a agitar o ambiente social na vila-sede de Chiúre, província de Cabo Delgado.
Um caso com violência à mistura, que já chegou aos ouvidos do governador, do secretário permanente provincial e até do Ministro da Administração Estatal, Lucas Chomera.
No enredo do caso, Almeida Geba, um próspero agricultor local, acusa o administrador Agostinho Manila de manter uma relação amorosa com a sua esposa, por sinal funcionária da administração distrital.
.
Há cerca de uma semana que o ambiente social no distrito de Chiúre, em Cabo Delgado, anda agitado.
Em conexão com este caso, o Director Distrital do Serviço de Informação e Segurança do Estado (SISE) em Chiúre, Maurício Pihale, foi esfaqueado por Almeida Geba, tomado pela fúria, a mesma que o levou a agredir fisicamente vários cidadãos que o tentaram acalmar, incluindo agentes da Polícia que sempre evitaram usar a força alegadamente “para a sua atitude não ser mal interpretada”.
O administrador Agostinho Manila diz que foi traído por uma mensagem que alegadamente lhe foi enviada pela sua colega de trabalho, informando-o sobre o seu regresso de uma missão à província de Nampula, aonde foi a comprar combustível para o gerador, a mando do administrador.
Desconfiado da referida mensagem que a esposa trocou com o administrador, Almeida Geba terá usado o telefone desta para enviar várias mensagens com conteúdo amoroso para Agostinho Manila, na tentativa de levar o administrador a revelar alguma evidência da suspeita relação.
Numa das mensagens enviada ao administrador, Almeida Geba sugeria que os dois se encontrassem num determinado lugar, ao que Agostinho Manila terá aceite, gesto prontamente interpretado por Geba como prova concludente de que o administrador se relacionava, efectivamente, com a sua esposa.
Com esta crença, o acusador lançou-se numa campanha de publicitação do facto, ao mesmo tempo que apelava à intervenção das mais variadas autoridades do distrito.
Na quinta-feira, o Governador de Cabo Delgado, Eliseu Machava, esteve em Chiúre, na companhia do embaixador francês, em trânsito para o posto administrativo de Mazeze, para a inauguração de um posto de saúde.
Apercebendo-se da presença do governador, Almeida Geba ainda tentou falar com aquele dirigente, aparentemente para se queixar, o que não foi possível, devido à intervenção de várias vozes discordantes.
Enquanto isso, o administrador distrital está recolhido no seu palácio, facto que alimenta o boato segundo o qual Agostinho Manila anda fugitivo, por assumir a acusação que pesa sobre ele.
.
OS FACTOS.
A nossa Reportagem, que no último sábado esteve em Chiúre, conversou com o administrador distrital, que confirma a versão de ter sido traído pelo seu telefone celular, no qual afirma ter registadas três mulheres com o nome Joaquina, uma das quais é a sua colega na administração, esposa de Almeida Geba e suposta sua amante.
Segundo conta o administrador, na véspera da visita do governador ao distrito, a referida funcionária recebeu a missão de ir à vizinha província de Nampula comprar combustível para o gerador.
No regresso, ela terá enviado ao administrador uma mensagem com o teor “já regressei de Namapa, boa noite”.
Na resposta, o administrador terá escrito apenas “Ok”.
“Quando comecei a receber mensagens fui aceitando as propostas porque além da Joaquina que é minha colega, tenho aqui no telefone, uma outra Joaquina que, na verdade, à minha amiga”, explica o administrador.
Abordado pela nossa Reportagem, Almeida Geba, um antigo funcionário do SISE, limitou-se a desmentir, sempre secundado pela esposa, afirmando que “é mentira. Não houve nada!”
Apesar da nossa insistência, Geba manteve-se firme no seu discurso.
Relativamente às consequências das suas acções contra terceiros, Geba recusou-se a tecer qualquer comentário, embora o director distrital do SISE se tenha oferecido a explicar as circunstâncias em que foi esfaqueado.
“Tudo aconteceu no dia 6, quinta-feira. A esposa veio pedir-me que fosse acalmar o seu marido devido aos problemas que houve, porque ele estava a ser socialmente inconveniente. Foi quando fui ter com ele e ainda no caminho ele rasgou a minha camisa e esfaqueiou-me. Estou com uma ferida em consequência disso”, explica Maurício Pahale.
Pahale diz que está a dar tempo para que o litígio que opõe Geba ao administrador distrital tenha desfecho, pois não descarta a hipótese de encaminhar o caso às entidades competentes.

Nenhum comentário: