sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Algo vai mal no Millenium BIM em Pemba...

Carta publicada no caderno Opinião do Noticias de Maputo publicada nesta manhã de sexta-feira-15/02/08, protestando sobre o mau atendimento bancário da agência do Millenium BIM em Pemba:
.
SR. DIRECTOR!
Agradeço a cedência do espaço destinado aos leitores, na certeza de que mais interessados quisessem ocupá-lo. Pedi-o para gritar em voz alta sobre a forma como o balcão de Pemba do Banco Internacional de Moçambique trata os seus clientes.
O que vi no balcão do Millenium BIM, em Pemba, no dia 5 de Fevereiro corrente, deixa muito a desejar. O mau atendimento aos clientes parece-me resultado de uma anarquia que se está a viver naquele banco, depois das mudanças operadas muito recentemente.
No balcão do BIM, em Pemba, não é novidade o abandono do posto de trabalho por parte dos funcionários ali afectos, o que é reforçado pelo facto de só funcionarem duas das quatro caixas, que têm momentos em que, simultaneamente, são abandonadas. As restantes estão permanentemente sem figura humana, como se fosse bom para o banco a existência de muitas pessoas e intermináveis bichas.
A minha indignação baseia-se na realidade que se assiste no banco, de que os funcionários estão a todo o momento a receber expediente de colegas do mesmo banco, que, por sua vez, trazem de amigos seus, dentro das bichas ou ausentes ou ainda que entraram pela porta-de-cavalo.
Não fica bem, nos tempos que correm, haver discriminação de qualquer espécie para o atendimento de um cliente. Não precisamos ser todos parentes, amigos ou da mesma cor dos funcionários, aliás, não foi isso que nos moveu a procurar um banco. Acontece em muitas partes do mundo, vão me dizer, mas aqui em Pemba atinge níveis de abuso aos clientes.
Imaginem, sinceramente, que eu e mais pessoas tenhamos ficado naquela data, só para efectuar um depósito, das 9 às 14 horas, altura em que metemos o nosso “bico” na caixa para o que vínhamos fazer. Mas neste espaço de tempo assistimos a várias práticas ilícitas dos(as) “caixas” que iam atendendo o expediente vindos não da bicha, ante o olhar impávido da própria gerente do balcão.
Não conformados com tais práticas, procurámos junto da gerente manifestar a nossa insatisfação e ficámos arrependidos, com a resposta que dela recebemos: “ esta é a nossa maneira de trabalhar”. Abanou a cabeça e virou-nos as costas logo a seguir!
Das muitas perguntas a fazer, há que destacar as seguintes: até quando a vivermos com esta situação? Nesta altura do campeonato, em que se fala de reformas em quase todas as instituições, incluindo as bancárias, que apostam na capacitação dos seus funcionários, também nos modos de atendimento ao público, eficiência nos trabalhos, de modo a concorrem no mercado global?
Será que o Departamento das Relações Públicas desta instituição não passa de um sector simplesmente emblemático, deixando a sua missão de estar permanentemente sintonizado com os clientes?
É de lamentar profundamente esta maneira de trabalhar do Millenium BIM, em Pemba, e o mais provável é perder gradualmente a clientela e confiança do público em geral, nesta altura em que os bancos BCI-Fomento e Barclay-Moçambique apostam e estudam a possibilidade de expandir e explorar os seus serviços em todos os distritos do país.
Januário Cássimo Sualé

Nenhum comentário: