quinta-feira, 3 de abril de 2008

Pemba - Só 45,3% da população se interessa por política !

O grau de interesse do cidadão pela actividade política em Moçambique, particularmente em Cabo Delegado, constitui um bom indicador do actual estado de desenvolvimento e exercício da cidadania e democracia.
É importante sublinhar que vários factores podem estar a encorajar algumas pessoas a envolverem-se na política, diz a pesquisa "A interacção entre o eleitorado do norte e deputados no contexto democrático moçambicano" de Barbosa Morais e António Gaspar, publicado nos finais de 2007.
Com efeito, a política deve ser vista no sentido holístico para capturar as mais diversas percepções dos cidadãos entrevistados. Estes cidadãos apresentam uma enorme heterogeneidade em termos de back ground político, académico e sócio cultural. A política pode ser entendida como uma das esferas do exercício do poder político, dentro da qual os processos de governação e eleitoral ocorrem. Estas actividades são de domínio da maioria dos cidadãos. É importante equacionar a política como âmbito de governação, sobre a qual o eleitorado moçambicano é mobilizado e encorajado a participar.
A política deve ser analisada e entendida como uma das actividades normais de interesse e utilidade pública em que o povo se deve envolver em benefício da sua família, comunidade e da sociedade em geral. O interesse do eleitorado pela política funda-se uma série de factores políticos e sócio-económicos que motivam a impulsionarem a participação das pessoas em actividades de utilidade pública. Primeiro como forma de exercício da cidadania, o que desperta a consciência do cidadão para a sua apropriação do processo.
O interesse do eleitorado pela política pode estar subjacente aos interesses colectivos (formações políticas, grupos cívicos de interesse ou individuais, busca de bem estar).
Os resultados do estudo mostram que, em Cabo Delgado, o interesse pelas actividades políticas é expressivo. A taxa de participação dos cidadãos entrevistados sobre este assunto é elucidativa, na medida em que se situou muito acima da média, ou seja, foi de 96% de pessoas.
.
Os cidadãos entrevistados em Chiúre, Mocímboa da Praia e Pemba.
Os entrevistados, de uma forma inequívoca, revelam o seu forte interesse pela política. De um total de 290 entrevistados, 82.0% mostram o seu forte interesse pela política, contra 14.0% daqueles que não se mostram interessados por esta actividade política e os restantes por outras palavras, significa dizer que, em cada 10 cidadãos entrevistados, 8 disseram que tinham interesse pela política e os restantes 2 mostram-se desinteressados. Este posicionamento deve-se à lealdade política baseada em considerações históricas das populações desta província. A sua lucidez política desenvolve-se e consolida-se no contexto da emancipação de Moçambique do colonialismo português.
Uma pequena percentagem de pessoas inquiridas disseram que nem sempre (3,8%) se interessa pela política.
Os dados mostram que no distrito de Chiúre, o interesse dos cidadãos entrevistados pela política é acentuado (89,6%).
Pemba, que é a capital da província, apresenta uma posição situada na fronteira entre o sim (45.3%) e o não (43,2%).
Na situação intermédia, a figura do município da Mocimboa da Praia (53%). Os últimos desenvolvimentos políticos registados na região demonstram que a população tem se envolvido na actividade politica.
O desinteresse pela politica em Pemba, que figura na ordem dos 43,2%, não é desprezível e pode constituir uma clara indicação de que os pembenses têm outras prioridades.
A TribunaFAX-Maputo, terça-feira 02 de Abril de 2008, N° 685

Nenhum comentário: