quinta-feira, 24 de julho de 2008

Um ano após, mais uma noite com o Madrigal Cantabilis...

Voltaram ao recanto bucólico um ano depois. E retornaram generosos inundando mais uma vez corações e ouvidos com sua simpatia, belos trechos do Réquiem de Mozart e Negro Spirituals. A bonita Igreja de São Benedito, construída em 1910 pelo artista serra-negrense Cid Serra Negra no estilo barroco-impressionista, acolheu o Madrigal Cantabilis. Mas foi pequena e o tempo curto para tamanha arte musical, visual e paz espiritual que ofereceram. Palavra que deixaram saudades.
.
O Madrigal Cantabilis foi formado em 1994 pelo professor Maurício Martinazzo com o objetivo de proporcionar aos seus alunos de técnica vocal a prática do canto coral. Inicialmente composto por 16 cantores, com o desenrolar do trabalho e a escolha do repertório, o grupo foi crescendo até a formação atual de 26 cantores. Desde 2005 o grupo conta com a regência de Jan Szot.
  • Sons, videos e imagens deste primoroso grupo de artistas Aqui!
  • Os videos de Alline Dantas (participante e produtora do Madrigal Cantabilis) no YouTube - Aqui!
O Ars Viva - II Festival de Música de Serra Negra acontece de 19 a 27 de julho.
Serão 17 apresentações de música em 9 dias.
Direção artística do maestro e compositor Sergio Chnee .
Realização: Secretaria do Estado da Cultura do Governo do Estado de São Paulo.
Todos os eventos são gratuitos.
Na programação do festival, bandas e orquestras sinfônicas, duo de violões e de flautas, percussão e coral de várias cidades paulistas como Aparecida do Norte, Atibaia, Jundiaí, São Paulo e Ubatuba.
Como convidado especial está o Quarteto Glazunov de cordas da OSESP.
As apresentações acontecem em quatro pontos turísticos de Serra Negra: o Auditório Mário Covas Júnior de 1.139 lugares, as igrejas Nossa Senhora do Rosário e São Benedito e a Praça Prefeito João Zelante.
"Acredito no poder que a música tem de transformar as pessoas e na qualidade e criatividade do músico brasileiro. Foram essas diretrizes que pautaram a escolha da programação do Festival Ars Viva 2008," comenta o diretor artístico, Sergio Chnee.
.
Em tempo - Apesar da boa-intenção, lamenta-se a falta de divulgação, descumprimento de horárários e locais além do desencontro de informação entre a programação oficial divulgada e a efetivamente realizada, demonstrados por parte dos organizadores do "Festival de Inverno de Serra Negra". O que não tem nada a ver nem penaliza a qualidade, excelência do trabalho e arte do Madrigal Cantabilis.

2 comentários:

Anônimo disse...

Sempre apreciei as belezas e a tranquilidade de Serra Negra. E o conchego de seu clima serrano. Estive por lá recentemente e me surpreendeu, depois de uns anos, o retrocesso da bela cidade, mormente no aspeto de asseio público(lixo) com calçadas e praças descuidadas, sem equipes de limpeza em operação constante como deveria ser em cidade turistica ou que vive dos turistas. Pareceu-me uma cidade abandonada pela atual administração municipal, preocupada somente com obras de aparência e ocasião além de vínculo eleitoral.

Bruno Abreu - São Paulo

gotaelbr disse...

Caro Bruno,

Aproximam-se as eleições e é só sentar a apreciar o espetáculo do "milagre da distribuição de obras" acontecer...Faz parte já do folclore político tupiniquim. E não é exclusividade do belo munícipio em tema. Pena que o eleitor, em sua maioria, não aprende nem despreza ou ignora politico que só aparece com largo e generoso sorriso (para não dizer cara de pau)distribuindo obras em tempo de eleição.
Abraço e obrigado pelo comentário e visita ao blogue.