segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Moçambique: Nas bancas o primeiro jornal grátis - @ Verdade!

Lançado primeiro jornal grátis em Moçambique.
.
A idéia é chegarmos às pessoas. Temos nesta cidade um milhão de habitantes que sabe ler e escrever e é inadmissível que a gente não consiga ter mais do que 10.000 exemplares em circulação. (Erik Charas, director do '@ Verdade')
.
Em Moçambique está já na rua o primeiro jornal grátis, o semanário ‘@ Verdade’ com uma tiragem de 50 mil exemplares, numa primeira fase disponíveis apenas na capital, Maputo.
Os mentores da publicação afirmam que a intenção é contribuir para um maior acesso à informação, um direito que nos dias que correm não está ao alcance de muitos, num país em que mais de metade da população vive com menos de um dólar por dia.
A cores e recheado de informação, com secções que vão desde a política ao desporto, da saúde e bem estar ao ambiente.
.
Acesso.
O ‘@ Verdade’ tem uma tiragem que ultrapassa – asseguram-nos - o conjunto de todas as restantes publicações do género actualmente existentes no país e promete uma experiência sem igual para os leitores e também ao nível da publicidade.
É sobretudo um desvio à norma, ao convencional, pelo menos para Moçambique, e é aqui em que reside a aposta dos seus proprietários, disse ementrevista á BBC para África, o seu director, o jovem Erik Charas.
“A ideia é chegarmos às pessoas. Temos nesta cidade um milhão de habitantes que sabe ler e escrever e é inadmissível que a genta não consiga ter mais do que 10.000 exemplares em circulação."
"É triste que para eu poder estar minimamente informado tenha de abidcar de oito pães, que é o custo de um jornal”.
.
Publicidade.
Sobre a sustentabilidade de um jornal grátis, Eric Charas, respondeu que “a estratégia é inovadora, dado que assenta na publicidada mas não da forma tradicional”.
Se bem que as pessoas ainda estivessem a travar conhecimento com as primeiras das 32 páginas que compõem o semanário ‘@ Verdade’, uma breve ronda pela capital moçambicana permitir à BBC medir o seu grau de receptividade .
Numa cidade pouco habituada à palavra ‘grátis’ ou como se diz por estes lados ‘mahala’,um jornal ‘de borla’ vem facilitar a vida dos que pouco têm.
"O jornal tem muitas imagens e isso fala por mil”, apontou um leitor. Um outro disse: “Gosto de desporto e para ter acesso a esse tipo de informação é difícil, custa dinheiro”. Uma jovem saudou, por sua vez o ‘@ Verdade’, por "falar sobre coisas que acontecem".
Erik Charas, o proprietário e director do semanário ‘@ Verdade’ declina revelar, em cifras, o investimento feito para que tão ambicioso projecto tivesse pernas para andar.
Charas, que no passado recente recebeu uma nomeação do Fórum Económico Mundial em reconhecimento do seu contributo como jovem nas àreas da liderança e empreendedorismo, sublinha que nesta fase o que interessa é manter o sonho vivo.
“Os outros semanários sabem que nós nos completamos’, rematou Erik Charas.
- Eleutério Fenita, correspondente da BBCParaÁfrica.com em Maputo, 01/09/2008 - 11h16 GMT.
.
Sucesso para o novo jornal de Maputo. Que seja imparcial, independente, frontal e espelho democrático da sociedade moçambicana. E abrangente a todo o Moçambique.

3 comentários:

Ana Martins disse...

Uma ideia original e inovadora.
Um jornal grátis em Moçambique é realmente fantástico, num país com tantas carências, os mais desfavorecidos podem sempre adquirir o jornal, porque ler é saudável e mantem as pessoas informadas.
Beijinhos

Isabel-F. disse...

espero que seja um sucesso ... e que possa chegar às mãos daqueles que são mais carenciados ...


beijinhos e tem um bom dia

gotaelbr disse...

...e que não seja mais um "orgão informativo oficial". Assim esperamos.
Abraço ás duas Amigas.