sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Preocupante - Crime-organizado brasileiro funda PCP em Portugal.

Está aqui no "Portugal Digital".
É preocupante pois cada dia mais, com crescimento alarmante, as manchetes dos jornais, rádios e tv's lusas noticiam casos de violência, drogas, criminalidade em geral, que vão atormentando a vida de portugueses e de todos aqueles que buscam alternativa de vida melhor laborando com honestidade e legalmente num Portugal de tradição hospitaleira.
Pelo tamanho do país Portugal, se as autoridades trabalhassem com eficiência, quadros e recusos necessários, os lesgiladores atualizassem a arcaica legislação penal, o judiciário agilizasse decisões e o governo investisse como deveria com objetivos sociais e não de aparência, modernizando inclusivé orgãos de segurança, tal não deveria acontecer com a dimensão que se apresenta... Lamentávelmente é esta a realidade quando a solução(?) para repôr a economia nos trilhos, "caminhando" na contra-mão do que acontece nos países desenvolvidos, é "cortar" sem dó ou pena, na saúde, educação, e segurança do povo português.
.
""Jovens do crime-organizado brasileiro se instalam em Portugal.
Segundo a RTP, os jovens criminosos têm um hino no YouTube e a maioria está em Portugal de maneira ilegal.
Brasília - Jovens provenientes das favelas brasileiras organizaram, na zona de Setúbal, o Primeiro Comando de Portugal (PCP), uma réplica do Primeiro Comando da Capital, uma organização de criminosos criada no Brasil que alegadamente servia para defender os direitos de cidadãos presos. Os componente do PCP fazem da violência o seu modo de vida, segundo a RTP.
Eles utilizam a Internet como principal meio de comunicação, onde têm um hino no YouTube e a maioria está em Portugal de maneira ilegal. Um dos componentes do Primeiro Comando de Portugal é Edivaldo Rodrigues, de 20 anos, que em agosto, num assalto a uma ourivesaria no centro da cidade de Setúbal, matou o o proprietário da loja. Foi depois detido pela Polícia Judiciária. Questionado sobre a notícia da criação do Primeiro Comando de Portugal, o ministro da Administração Interna, Rui Pereira, evitou referir-se diretamente sobre este caso, mas adiantou que "há processos criminais em curso que naturalmente estão em segredo de justiça". "Como sabem, a criminalidade organizada é em geral competência da Polícia Judiciária", acrescentou o ministro. "Eu não falo sobre processos que estão sendo conduzidos por autoridades judiciárias com a colaboração dos orgãos de polícia criminal e, neste caso, da Polícia Judiciária, que tem competência reservada".""
- Portugal Digital - 19/09/08 - Link acima.

2 comentários:

Rodrigo Piva disse...

É triste, mas é a prova da falência total do Estado de direito que não foi capaz sequer de conter o avanço dos grupos criminosos, muito pelo contrário.
Abraços

gotaelbr disse...

E o que procupa mais, Rodrigo, é que tais grupelhos de marginais, por reflexo acabam penalizando a reputação e a permanência da maioria dos brasileiros(as) honestos que buscam na Europa uma forma de vida digna.
Abraço.