quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Obra etnográfica sobre a cultura Macua-Xirima é lançada em Moçambique.

O missionário da Consolata Giuseppe Frizzi acaba de lançar a importante obra etnográfica "Murima ni ewani Exirima: Biosofia e biosfera Xirima". O autor vive no Niassa, Moçambique, há mais de 30 anos.

A obra é uma autêntica suma da cultura e sabedoria do povo Macua-Xirima, um importante grupo étnico moçambicano. Giuseppe Frizzi é um dos maiores estudiosos da língua e cultura Macua-Xirima.

Conheci-o em 1992, quando cheguei a Moçambique e foi ele, com o seu conhecimento e experiência, que me introduziu no conhecimento da realidade sócio-cultural e pastoral local.

Desde o início apreciei o seu trabalho de investigação cultural e pastoral. Apenas chegado ao Niassa, o missionário italiano Giuseppe Frizzi procedeu à recolha e salvaguarda dos trabalhos linguísticos dos primeiros missionários da Consolata que desde 1926 evangelizaram a região.

Enriqueceu o material etnográfico, anotando tudo o que encontrava, sobretudo provérbios e contos tradicionais macuas. Destes passou aos ritos das curas e às iniciações masculinas e femininas. Com o passar do tempo, formou uma equipa de colaboradores competentes na pesquisa de campo.

Em 1992, criou na Missão de Maúa o Centro de Investigação Macua-Xirima. Dele saíram traduções de textos litúrgicos e catequéticos que culminaram com a tradução e publicação, em 2002, da Bíblia Macua-Xirima ilustrada. Editou textos bilingues para a alfabetização e escolarização: Gramática Macua-Xirima, Mwana mutthú yowo: a criança é pessoa (2004). Em 2005, publicou o monumental Dicionário Macua/Xirima-Português e Português-Macua/Xirima. Agora, acaba de publicar em 1785 páginas a obra antológica, etnográfica “Murima ni ewani Exirima": Biosofia e biosfera Xirima".

O seu conteúdo e ilustrações favorecem a consolidação das raízes culturais do povo Macua-Xirima. O que tão generosamente este povo lhe foi doando a nível oral durante muitos anos de convivência, com gratidão é aqui restituído, fixado a escrito, filtrado e enriquecido pela sua experiência e metodologia científica.

O livro é uma suma quase completa da mundo-visão Macua-Xirima. A leitura dos textos revela a consistência da cultura e da sabedoria deste povo que se desenvolve em redor do tema central: a vida. Biosofia e biosfera é um binómio que abrange e unifica todas as secções que esta obra toma em consideração: Deus, criação, autoridade, parentesco, a pessoa, o trabalho, sabedoria, justiça, ética, saúde, doença, morte, curas, religião e festas.

Para cada uma das quinze secções apresentam-se muitos e variados textos: uns soltos, como é o caso dos inúmeros provérbios e axiomas; outros reproduzindo a sequência cronológica do rito celebrado (iniciação, sacrifício tradicional, curas, cânticos fúnebres e outros.). Para facilitar a compreensão dos textos estão inseridos nesta publicação várias ilustrações, realizadas por artistas do Centro de Estudos Macua-Xirima, sobretudo dos artistas Luís Presciliano e João Torchio.

Uma obra notável que demonstra o amor profundo de um missionário pelo seu povo. O fazer-se humilde para poder entender e o ser sábio para saber transmitir.

Para a publicação desta obra contribuíram entre outros, a Província Portuguesa dos Missionários da Consolata.
- Fátima Missionária, por Diamantino Antunes que é missionário da Consolata - 24-02-2009 • 07:50

  • Fátima Missionária (Portugal) - Aqui!
  • Missionários da Consolata (Portugal) - Aqui!
  • Missionários da Consolata (Brasil) - Aqui!

2 comentários:

Zé Povinho disse...

Esta notícia cultural é bem mais agradável do que a anterior sobre uma realidade que a todos deve envergonhar.
Abraço do Zé (machangano)

gotaelbr disse...

Zé,

Retribuo o abraço, as palavras e a honrosa visita.