quarta-feira, 8 de julho de 2009

Ecos da imprensa Moçambicana: Perto de 15OO doentes abandonam tratamento...

Cerca de mil e quinhentos pacientes infectados pelo Sindroma de Imunodeficiência Adquirida, SIDA, na província de Nampula, abandonaram o tratamento antiretroviral que vinham usufruindo, segundo estatísticas do sector da Saúde relativos ao intervalo entre o ano de 2007 a esta parte, período em que foram testados positivos pouco mais de dezassete mil pacientes num universo de 58.785 suspeitos de viver com o vírus do HIV ao nível das unidades sanitárias locais.

O sector da Saúde naquela parcela do país que esteve reunido em mais um conselho coordenador provincial debruçou-se em torno das acções levadas a cabo no sentido de conter os níveis de infecção pela chamada doença do século e concluiu que 599 pacientes que sofriam infectados pelo HIV/Sida morreram no período em análise.

No entanto, do universo de pacientes vivendo com o HIV/Sida ao nível da província e que abandonaram o tratamento antiretroviral, 434 retomaram voluntariamente ao uso da terapia para debelar os efeitos daquela doença de transmissão sexual.

O abandono pelos pacientes da terapia contra os efeitos do HIV/Sida em Nampula é interpretado pelo sector da Saúde como estando ligado a dificuldades de acesso a alimentos com nutrientes que possam fazer face aos efeitos colaterais dos antiretrovirais, aliada às longas distâncias que têm que percorrer para atingir a unidade sanitária mais próxima, estimada actualmente em 25 quilómetros contra o dobro em 2005.

No entanto, a Saúde naquela parcela considera que as transferências constantes de um distrito para o outro dos técnicos do sector com treinamento para administração dos antiretrovirais são factores que estimulam o abandono do tratamento. É que os pacientes sentem quebrado o segredo do seu estado serológico em relação ao HIV/Sida quando de tempos em tempos tem que lidar com um outro profissional da Saúde para administração dos anti-rectrovirais.

O sector da saúde recomendou no referido encontro o abandono desta estratégica, adicionalmente reforçar o seu quadro de pessoal dos distritos com psicólogos para que possam jogar um papel motivador junto dos pacientes no concernente à pertinência do uso da terapia antiretroviral.

Os distritos que têm merecido uma atenção especial dos programas de prevenção e combate ao HIV/Sida por parte do sector da Saúde em Nampula são de Eráti, Meconta, Malema, alem de Nacala-Porto, Ribáuè incluindo a cidade de Nampula, que tem uma taxa de incidência da doença superior a media da província.

Flávio Wate Director Provincial da Saúde em Nampula, precisou que a pandemia do HIV/SIDA afecta seriamente a força onde os funcionários do seu sector não são uma excepção. Acrescentou que o seu sector vai reforçar as acções de divulgação das medidas preventivas contra aquela doença mortífera, privilegiando os grupos vulneráveis. A taxa de incidência do HIV/SIDA em Nampula é de oito por cento, numa população estimada em quatro milhões de habitantes.
- Maputo, Quarta-Feira, 8 de Julho de 2009:: Notícias.

Nenhum comentário: