quarta-feira, 1 de julho de 2009

Observatório de Desenvolvimento critica Governo de Cabo Delgado

Ronda pela net - Notícias de 01/07/2009:

A sociedade civil em Cabo Delgado não ficou satisfeita com o relatório do Governo provincial relativo ao desenvolvimento da província apresentado na recentemente realizada sessão do Observatório de Desenvolvimento. O documento refere que a província registou um crescimento global na ordem dos 10 por cento, o que terá contribuído para uma estabilidade da segurança alimentar ao longo do ano de 2008.

O posicionamento da sociedade civil é baseado na falta de fundamentação da superação excessiva na maior parte das metas indicadas no Plano Económico e Social (PES), o que na sua opinião denota de uma forma geral uma tendência de planificação com indicadores baixos, quando na verdade existe uma capacidade de execução não explorada.

“O receio em aumentar as metas anuais a alcançar de certo modo retarda o processo de desenvolvimento. A percepção é de que se está a usar e demasiadamente, o princípio de que é preferível planificar pouco e mostrar bons resultados, do que definir metas ambiciosas e obter maus resultados”.

Por outro lado, conforme a posição apresentada naquele fórum de consulta, o relatório apresentado pelo Governo provincial não faz referência a resultados qualitativos das realizações, fazendo com que o avanço dos números não dê a ideia do que constitui a melhoria da vida das comunidades com relação a certas intervenções do Governo.“Através do relatório não é possível apurar o impacto da realização do plano de produção em 124 por cento e 117 por cento para culturas alimentares e de rendimentos na redução do défice alimentar da província”, diz a sociedade civil.

Debruçando-se a volta da corrupção e burocratismo, cujo combate vem contido no plano quinquenal do Governo, a sociedade civil referiu que em nenhum momento o relatório do Executivo apresenta acções concretas desenvolvidas durante o ano de 2008, relacionadas com casos ligados à matéria, que tenham sido detectados e o respectivo desfecho.

Em conclusão, a sociedade civil entende que a análise do balanço conduz à percepção de que ele foi feito na perspectiva de visualização de uma orientação para o desenvolvimento acelerado e não apenas no contexto do que foi realizado em função do planificado.

No encontro foram apresentadas ideias-mestras que conduzirão a província à elaboração do seu segundo plano estratégico de desenvolvimento para o período 2010/2014, tendo o Governador provincial, Eliseu Machava, recomendado a valorização das contribuições de todos os intervenientes.“O povo quer resultados positivos do nosso desempenho, por isso todas as contribuições de todos os segmentos sociais são bem-vindas, valorizemo-las” disse Machava.
- Maputo, Quarta-Feira, 1 de Julho de 2009:: Notícias.

Nenhum comentário: