quarta-feira, 26 de agosto de 2009

TROVOADA NA SERRA - Um apontamento do último Administrador Colonial da Gorongosa.

Trovoada na Serra - Uma lição da História de Moçambique que deve ser lida com atenção e percebida pelos jovens moçambicanos de hoje:

""...Com efeito, revejo-me, menino e moço, na Quissanga e Porto Amélia, onde muito amei alguém que então tratava por "miúda"; revejo-me, brincalhão, nas praias de Uimbe e de Mecúfi; explorador nas florestas de Nangade...""
  • Leia em formato "pdf" Trovoada na Serra, na íntegra - Aqui!
Acrescento: Sugestionado por Amigo, transcrevo post do "Moçambique Para Todos" já publicado em 26/02/2007 mas sempre atual, onde, na ótica de JOSÉ DO ROSÁRIO ROSA, último administrador colonial e a última autoridade portuguesa no então Concelho da Gorongosa com sede em Vila Paiva de Andrada, nos relata detalhadamente, com ínicio em 1973 até à independência de Moçambique, a transição nada fácil, conturbada, dramática da Administração local para a Frelimo.
Lendo-se com tempo e atenção este trabalho do Administrador José do Rosário Rosa terminado em Novembro de 1995, poderemos entender um pouco da História recente de Moçambique, o drama e sacrífício de milhares de moçambicanos e portugueses envolvidos nessa já célebre "descolonização exemplar" que não assegurou mínimamente seus bens e vidas, entregou Moçambique por conveniência, fraqueza ou pressões internacionais a um único partido despreparado, quando outros movimentos pró independência exisitiam, além de podermos perceber melhor figuras e situações que nos trazem até ao atual Moçambique, inundado de contradições sociais e pobreza que envolvem a maioria da população não ligada, por várias formas, aos quadros do partido Frelimo ainda no poder.

2 comentários:

F. J. Branquinho de Almeida disse...

Não perdi uma palavra......só quando lia "Gorongosa".....estava-me Ancuabe à frente dos olhos....

Uma pequena história de tantas.....que ficam para a História duma descolonização com erros, algumas traições....e pouca competência e vergonha.... de que o Povo moçambicano terá sido o menos culpado!

JAIME disse...

Bem dito Branquinho. Mas eu "aperfeiçoaria" se me permites: "Uma história dramática entre tantas que ficam para a História duma descolonização com muitos erros, traições em demasia... e pouca competência e vergonha... de que os povos moçambicano e português terão sido os nada culpados!"
E o mais grave é que toda essa "escumalha" que causou tanto mal continua impune, sem prestar contas à Justiça por seus crimes, "arrotando canivetes", afrontando os povos citados prejudicados e usurpando o Patrimônio das nações envolvidas.
Abraço!