quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Moçambique: O País dos linchamentos...

Só este ano: linchadas 20 pessoas na Beira - MAPUTO – Apenas, de Janeiro a esta parte, foram linchados 20 indivíduos, todos todos do sexo masculino, na cidade da Beira, província de Sofala, acusados de envolvimento em crimes, principalmente, assaltos a residências e em em via pública, com o recurso a armas brancas. Esta informação foi avançada, esta terça-feira, na capital provincial de Sofala, por Mateus Mazibe, do gabinete das Relações Públicas, no Comando Provincial da Polícia da República de Moçambique, PRM, tendo acrescentado que a vigésima pessoa foi linchada, por populares, no último fim-de-semana, depois de, juntamente com seus amigos, terem tentado assaltar a uma moradia. Segundo a Polícia, uma quadrilha de bandidos que perpetrava assaltos, na via pública e em residências, dirigiu-se a uma casa, onde arrombou a porta, usando uma alavanca de “péde-cabra” e introduziu-se, no seu interior. Em seguida, os donos da casa pediram socorro, a vizinhança começou a aparecer e, daí, os miliantes saíram a correr. Mazibe explicou que foi quando encentaram uma fuga que um dos ladrões caiu, nas mãos da população, tendo, depois, sido queimado vivo, com recurso a pneus e a combustíveis líquidos.

De acordo com a Polícia, na Beira, da quadrilha, foi possível neutralizar cinco indivíduos e dois continuam fugitivos. “Há um trabalho que se está a fazer, para a neutralização destes indivíduos”, disse o oficial de comunicação, no Comando Provincial da PRM, em Sofala. Dito Jaime – que se encontra, agora, nas mãos da Polícia – é um dos cidadãos que teve a sorte de escapar a linchamento, depois de ter sido espancado, na Beira, igualmente, pela população, acusado de assalto. Contudo, Jaime negou que tivesse sido “sovado” por envolvimento em assalto, mas – segundo sustenta – por ter sido encontrado, pela população, quando a correr. Mazibe apelou, na ocasião, às comunidades a não enveredarem pela chamada “justiça pelas próprias mãos”, muito menos por linchamentos de pessoas indiciadas no cometimento de diversos crimes. “Continuamos a exortar as pessoas, que ninguém deve fazer a justiça por si própria. Este acto é condenável, porque nós estamos num Estado de Direito, por isso, mesmo que os indivíduos sejam criminosos, têm o direito de serem ouvidos, em lugares apropriados”, observou.
- Maputo, Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009, A TribunaFax N° 1092.

Um comentário:

Guilherme Freitas disse...

O linchamento é um tipo de fazer justiça com as próprias mãos e está errado. As pessoas devem julgar criminosos e condená-los, mas jamais linchá-los e matá-los. Nestes casos é muito comum também matar inocentes, que por causa de boatos acabam sendo surrados até a morte. Abraço.