sábado, 7 de abril de 2007

PEMBA - Diarreias e cólera fazem quatro óbitos.



Quatro pessoas morreram na cidade de Pemba, na sequência das doenças diarreicas associadas à cólera que desde o passado dia 15 de Março último afectam a capital provincial de Cabo Delgado e o distrito de Mecúfi. Até à última quarta-feira haviam sido notificados 768 casos daquelas enfermidades nos dois pontos, onde, entretanto, foram reactivados os centros de tratamento da cólera e as medidas de mitigação da doença.

A prevalência de doenças diarréicas naqueles dois pontos da província de Cabo Delgado registou o seu agravamento há sensivelmente dois meses, altura em que as autoridades sanitárias decidiram colher amostras para análises laboratoriais. No total, de acordo com Mouzinho Saíde, director nacional de Saúde, foram colhidas e analisadas nas três últimas semanas 22 amostras de água das diferentes fontes de abastecimento do precioso líquido, particularmente na cidade de Pemba.
Do total das amostras colhidas, conforme explicou, 16 revelaram-se impróprias para o consumo humano. Aliás, segundo disse, a eclosão do surto daquelas enfermidades resulta fundamentalmente do agravamento das condições de higiene e saneamento do meio nos dois pontos, situação agravada pelo fraco acatamento das medidas preventivas recomendadas pelas autoridades sanitárias por parte de alguns elementos das comunidades locais.
Para controlar a situação, que, na cidade de Pemba, afecta particularmente os bairros de Cariacó, Paquetequete, Ingonane, Alto Gingone e Natite, o sul de Sassalane e a aldeia Muindi, no distrito de Mecúfi, foram constituídas equipas de profissionais da Saúde e activistas da Cruz Vermelha de Moçambique (CVM) que estão a desenvolver acções de Educação Para a Saúde sobre as medidas preventivas das doenças diarreicas, enfocadas aos mercados.
Outras acções compreendem a desinfecção dos poços de água e reservatórios, dos sanitários e outros locais que sejam de relevo, a proibição da venda ilícita de produtos alimentares e impróprios para o consumo humano, o seguimento dos casos nos domicílios para a desinfecção domiciliária e educação da família, entre outras, conforme assinalou Mouzinho Saíde.
Para o caso do distrito de Mecúfi, que desde a eclosão do surto, no passado dia 17 de Março, notificou 73 casos sem nenhum óbito, este foi reforçado por uma equipa técnica de apoio a partir da Direcção Provincial da Saúde para desenvolverem aquelas acções.
A propósito, o director nacional da Saúde apontou que uma das dificuldades com que se depara o seu sector naqueles dois pontos da província de Cabo Delgado para fazer face à situação relaciona-se com a exiguidade de pessoal, para além de os primeiros registos de Pediatria, Medicina e CTC não ajudarem na localização dos domicílios dos doentes.
Maputo, Sábado, 7 de Abril de 2007:: Notícias

Nenhum comentário: