terça-feira, 2 de dezembro de 2008

A tragédia da Sida/Aids em Moçambique.

Maputo- O Presidente de Moçambique, Armando Guebuza, considerou, segunda-feira, dia 1, uma "tragédia" o índice de contaminação por HIV no país, incitando os moçambicanos a agirem "a uma velocidade superior à propagação das infecções", para vencer a doença.

"Estamos perante uma tragédia de grandes proporções", disse Guebuza, discursando no lançamento da nova estratégia de aceleração da prevenção da infecção HIV, vírus que provoca a Sida/Aids.

Dados, divulgados por ocasião do Dia Mundial de Combate à Sida/Aids, dão conta que aproximadamente 16 por cento da população moçambicana, entre os 15 e 49 anos, está infectada. Pelo menos 6 por cento das mulheres grávidas moçambicanas estão contaminadas, tornando Moçambique num dos dez países mais atingidos no mundo.

Mas, para o chefe de Estado moçambicano, o país tem registado avanços no combate à Sida, nomeadamente na transmissão vertical, ou seja, na prevenção da transmissão da infecção do HIV da mãe para filho.

"Queremos exortar os nossos compatriotas a aderirem, em massa, aos serviços de aconselhamento e de testagem voluntária que têm estado a conhecer expansão pelo nosso país", apelou. "Quanto mais cedo for detectado o vírus, maiores serão as probabilidades de sucesso do tratamento anti-retroviral. Apresentar-se nas unidades sanitárias muito tarde, com acentuada debilidade imunológica, só frustra o empenho e o investimento de quem quer ajuda com o tratamento", defendeu.

Guebuza exortou igualmente cada um dos moçambicanos a despertar as suas "virtudes de líder" para levar mais compatriotas a assumirem que "há já no país exemplos de boas práticas que podem ser replicados". "A liderança, no contexto deste lema, deve-nos levar a compenetrarmo-nos do facto de que, não havendo cura ainda para este flagelo humano, ele só poderá ser vencido se assumirmos comportamentos e atitudes que nos afastem da possibilidade de nos infectarmos, ou de podermos infectar ou condicionar que outras pessoas se infectem", disse. "A liderança continua a ser a arma mais barata, disponível e ao alcance de todos nós", mas, "a vitória sobre esta tragédia está ao nosso alcance", disse.
- In "África21 Digital".

Outros post's deste blogue a respeito de HIV/SIDA:

  • Moçambique - HIV/SIDA: o flagelo que deve ser discutido e informado - Aqui!
  • Elvira Howana - O direito à vida - Aqui!
  • Diversificando: HIV/SIDA - Nunca é demais falar... - Aqui!
  • Moçambique: para ex-refugiados seropositivos, a luta continua... - Aqui!
  • Bispo de Moçambique acusa europeus de infectar camisinhas com HIV - Aqui!
  • Moçambique: A SIDA vista através das lentes das câmeras - Aqui!
  • PEMBA: Fátima, o sheik e a mesquita... - Aqui!

2 comentários:

Ana Martins disse...

Caro amigo Jaime tenho andado baralhada pelo Multyply, não me entendo a fazer comentários. Sabe é que sou um 0 à esquerda de uma virgula a inglês. Se me puder ajudar,agradeço.

Beijinhos

gotaelbr disse...

Claro que ajudarei Ana.
É só mandar-me um e.mail a respeito.
Abraço,

Jaime