quarta-feira, 14 de setembro de 2005

Mocimboa da Praia...ainda ! - V

Polícia quer deter quadros da Renamo em Mocímboa da Praia - 2005/09/13

A polícia de Cabo Delgado, norte de Moçambique, continua as buscas para deter quadros da RENAMO (na oposição), após a detenção de mais de uma dezena de pessoas acusadas de desacatos em Mocímboa da Praia.

Mais de uma dezena de pessoas, sobretudo da Renamo, encontram- se `legalmente detidas´, supostamente por terem destruído residências e pilhado bens, confirmou segunda-feira à Agência Lusa o procurador provincial de Cabo Delgado, Sérgio Reis.
Entre os supostos implicados, ainda em parte incerta, estão o candidato do principal partido da oposição às eleições intercalares em Mocímboa da Praia, Saíde Assane, e dois deputados da Renamo à Assembleia da República, indiciados por terem protagonizado desacatos na última semana naquele município do norte do país.
Um grupo de juristas da Renamo deslocou-se à província de Cabo Delgado para analisar a situação, mas não teve acesso aos detidos e aos doentes hospitalizados, disse segunda-feira à Lusa o deputado Francisco Dias.
`Não conseguimos contactar nenhum preso, nem sequer nos deixaram entrar nos hospitais para visitar os doentes.
Estão a vedar- nos o acesso´, denunciou.
Na semana passada, membros do partido FRELIMO, no poder, RENAMO e a polícia envolveram-se em confrontos, depois de a principal força política da oposição ter dado posse ao seu candidato derrotado nas eleições intercalares da Mocímboa da Praia.
A oposição alegou fraude eleitoral no escrutínio intercalar de Maio para substituir o anterior edil, falecido em 2004.
Na sequência das acusações, a Renamo organizou manifestações e uma tomada de posse paralela do seu candidato, o que desencadeou os confrontos, que se saldaram em oito mortos, incluindo um agente da polícia, e cerca de meia centena de feridos.
As autoridades moçambicanas consideraram a situação `calma´ em Mocímboa da Praia, após as instituições públicas terem retomado as suas actividades normais...
fonte: NOTÍCIAS
==
Comentários:
Chi li ma ?
Em Estado de direito fazer justiça com as proprias maos é crime, mesmo que aparentemente possamos ter razão.
Em Moçambique existe uma ordem estabelecida, existem tribunais onde os que se sentem lesados possam reclamar os seus direitos.
Por isso, não venham aqui com fugas para a dianteira e pretender que a democracia esta em perigo.
A democracia veio para ficar em Moçambique .
Penso que está na hora de pararem de reduzir a democracia ao estómago de alguns oportunistas que não querem trabalhar mas sim viver numa well às custas de alguma ingenuidade dum povo que heroicamente luta pela sobrevivencia neste mundo em que a vida vai ficando mais dificil dia apos dia.
Força PRM, vá à caça desses iresponsaveis e ponha-os na barra da justiça para que comecem a compreender que em Moçambique niguém esta acima da lei.
Mais não disse.
===
Farto de tudo isto
Aí é que está, a tal polícia não devia se designar PRM mas sim PF.
É ela que facilita à Frelimo fazer fraudes e a mesma a reprimir a quem exige o seu direito.
===
Asseiceiro
Na 1ª Guerra Mundial, Craveiro Lopes era um jovem oficial português que combateu o Nazismo alemão no Distrito de Mocímboa da Praia; mais tarde, o Marechal Craveiro Lopes regressou a MP como Presidente da República de Portugal para homenagear os seus camaradas mortos. Mais tarde o Exército colonial português de que eu fiz parte, voltou a trazer a guerra ao povo moçambicano, mas fez também a paz e entregámos Moçambique ao seu verdadeiro dono Moçambique depois da luta armada de libertação nacional moçambicana.
Recentemente voltou a Guerra desta vez entre Frelimo e Renamo e o povo inocente voltou a sofrer.
Agora em democracia, quase fifty fifty em número de votos, volta a haver mortos na pátria moçambicana, e numa terra paradisíaca como é Mocímboa da Praia.
Há dinheiro para munições, mas nao há meios para dar ao povo o que o povo quer: a saúde, alimentos, medicamentos, - Chiça que é demais para um povo com tanto carácter.
===

Nenhum comentário: