terça-feira, 4 de julho de 2006

Moçambique - Sete províncias favorecem eclosão da gripe das aves.


As províncias de Maputo, Gaza, Inhambane, Nampula, Zambézia, Cabo Delgado e Niassa são as que maior risco correm da eclosão da gripe das aves devido às suas condições naturais (existência de terras húmidas) que favorecem as visitas das aves migratórias que podem ser portadoras da estirpe que provoca a doença e por se apresentarem com maiores concentrações de aves domésticas. O Governo moçambicano assumiu já a responsabilidade de prevenção e combate, com a aprovação em Abril pelo Conselho de Ministros do plano nacional de contingência.

O Ministro da Saúde, Paulo Ivo Garrido, chamou, ontem, a Imprensa para falar dos passos que estão a ser dados pelo comité multissectorial envolvendo o seu ministério e da Agricultura, estando-se já num estágio muito avançado da criação de bases em todo o país para dar resposta a uma possível eclosão da gripe das aves.
Conforme disse o ministro, importa neste momento preparar a sociedade de modo a saber identificar os principais sinais da aparição da doença e a agressividade do seu impacto económico, através da difusão das informações precisas sobre as medidas de prevenção sem criar pânico entre a população.
"Existe uma grande preocupação do Governo no que diz respeito à velocidade da evolução da doença nos últimos meses do ano passado e princípios deste ano.
Há uma progressão da doença a um ritmo acelerado em África, partindo de norte a sul e, devido a isso, tomamos a decisão de estabelecimento de um plano nacional de contingência para que em caso de eclosão o país esteja preparado para identificar o mais rapidamente possível a doença e tomar as medidas de combate em tempo útil.
Para isso, é preciso que toda a sociedade esteja munida de informação mais detalhada e clara sobre esta doença, tendo sido indicados os ministérios da Saúde e da Agricultura para prepararam o plano que deve orientar todas as acções", disse Garrido, para quem todos os intervenientes têm um papel importante para a difusão de informações que devem ser mais esclarecedoras para evitar o alastramento da doença.
Acrescentou que vão arrancar brevemente acções de formação em todas as províncias focalizadas para os líderes de opinião que possam influenciar as comunidades para tomarem em consideração as mensagens difundidas sobre a gripe das aves, para que o público conheça os passos a seguir em caso de identificação de qualquer sinal.
"O primeiro sinal que deverá ser tomado em consideração é o aparecimento de muitas aves mortas em pouco tempo, o que se pode considerar anormal.
Nestas circunstâncias, a comunidade deve informar com a maior brevidade possível as autoridades da Agricultura ou da Saúde mais próximas, que deverão tomar as medidas já predefinidas na estratégia nacional de contingência.
Já temos material contendo a informação e para a sua divulgação contamos com todos os intervenientes, sobretudo a comunicação social", disse.
Fazem parte das medidas a serem tomadas o isolamento da área onde for identificada a doença e posteriormente o abate de todas as aves que se encontrarem num raio de 3,5 quilómetros e limitar a movimentação das aves num raio de dez quilómetros durante um período de um mês.

Maputo, Terça-Feira, 4 de Julho de 2006:: Notícias

Um comentário:

Kafé Roceiro disse...

Convido para conhecer meu blog. Afinal serás bem vindo no Kafé Roceiro - Humor e Cinema.
Forte abraço,
"Minha pátria é a língua Portuguesa".