quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Em Namuno e Mogovolas : Mais de mil alunos não fizeram exames.


Mais de mil alunos da 7a classe, distribuídos em dez centros de exames, ficaram sem fazer as respectivas provas finais de Português e Ciências Naturais programados para a segunda-feira, primeiro dia, no distrito de Namuno, em Cabo Delgado, devido à avaria registada na viatura que levava as provas da sede distrital aos locais de realização. Em Mogovolas, Nampula, perto de 50 alunos da 5a classe não fizeram igualmente os exames por avaria da motorizada que era usada para o transporte dos enunciados.
O Ministério da Educação e Cultura está a estudar a forma de reparar, sem prejudicar os alunos, esta situação e outras que provavelmente poderão ter ocorrido noutros centros, devendo dar as mesmas oportunidades que outros tiveram. Segundo Jafete Mabote, da Comissão Nacional de Exames, trata-se de um problema logístico que deverá ter uma solução rápida e favorável para os alunos. Conforme disse, existem duas possibilidades para a solução do problema. A primeira seria esperar pela segunda chamada, e a segunda seria o ministro da Educação e Cultura decidir pela realização de uma prova extraordinária para os alunos afectados. Tirando este incidente e de uma forma geral, os exames estão a decorrer em todo o país num ambiente satisfatório, apesar de a chuva estar a cair em muitos pontos das diversas províncias. Ainda sobre as faltas acontecidas no primeiro dia, a cidade de Maputo registou uma ausência de pelo menos 942 alunos da 5a classe no primeiro exame de Português e 708 no de Ciências Naturais, o que dá uma média de oito alunos por escola, enquanto que na 7a classe faltaram 322 alunos nas duas provas, o que corresponde a sete alunos faltosos por escola. No total, faltaram 1264 na cidade de Maputo, o que corresponde a 1.4 porcento dos 90.100 examinandos previstos para os dois subsistemas. "Neste caso, os alunos deverão ficar à espera da segunda chamada", disse Mabote. Já na Beira, as notícias que nos chegam dão conta de que está tudo a correr conforme o previsto, estando a ser submetidos aos exames 16.860 alunos da 5a classe e 13.927 da 7a. No que diz respeito aos exames de Alfabetização e Educação de Adultos, que deverão decorrer entre quinta e sexta-feira, estão inscritos na Beira 5.322. Em Tete, pelo menos 36 alunos da 5a classe não compareceram ao único exame de Matemática programado para o dia de ontem, devido às fortes chuvas que estão a cair naquela província, tendo as autoridades da Educação assegurado que deverão fazê-lo na segunda chamada. Embora sem informação do número de alunos que provavelmente terão faltado ao exame, sabe-se que a província de Niassa está também sob fortes chuvas, que poderão ter criado problemas ao processo. Informações provenientes de Gaza dão conta de se ter registado a falta de pelo menos quatro alunos no primeiro dia, sendo dois em Mazivila e outros dois em Hókwè. Aponta-se como razões a movimentação de alguns pais para a África do Sul. Fonte da Direcção Provincial da Educação e Cultura disse ser uma situação frequente sempre que se regista seca ou outros desastres naturais, com as pessoas a deslocarem-se àquele país em busca de sustento. O assunto deverá, nos próximos tempos, ser alvo de análise entre o sector e as comunidades. Notícias que nos chegam de diversas partes do país dão conta de que registam-se chuvas torrenciais, o que pode comprometer as metas traçadas para estes exames, devido às dificuldades de acesso, bem como às condições das salas de aulas e falta de mobiliário nalgumas escolas.
Maputo, Quarta-Feira, 15 de Novembro de 2006:: Notícias
====================
Assaltantes roubam oito biliões em Pemba.
Assaltantes á mão armada roubaram na noite do último domingo pelo menos oito biliões de meticais nas instalações da empresa privada de segurança Alfa Segurança, na cidade de Pemba.O valor era destinado á agência do Standard Bank na capital de Cabo Delgado.O dinheiro, segundo fonte fidedigna, que preferiu o anonimato, vinha transferido de Nampula para aquela agência bancária em Pemba, operação normalmente confiada à Alfa Segurança que, tendo-o recebido no domingo, guardou-o nos seus cofres para entregar ao banco na manhã de ontem.Por volta das 22:30 horas de domingo, três homens fardados, ainda não identificados e a monte, empunhando uma pistola e armas do tipo AKM, assaltaram os cofres da Alfa Segurança, depois de espancarem o guarda em serviço, Avião José Boene, ora hospitalizado na maior unidade sanitária de Cabo Delgado.A porta-voz da PRM, Malva, em contacto, confirmou o acontecimento, mas disse não poder entrar em pormenores quanto aos valores envolvidos, bem como as circunstâncias reais em que tal teve lugar.`Estamos num estado muito avançado á procura da verdade, só que não nos é conveniente entrar agora em pormenores. Aconteceu, isso é verdade´, disse a porta-voz.Outras fontes disseram, ao fim da tarde de ontem, que pelo menos quatro agentes de segurança naquela empresa encontram-se detidos em resultado do trabalho policial em curso visando o esclarecimento do crime.O gerente da agência do Standard Bank, Mário Gaspar, confirmou, por seu turno, a ocorrência, mas igualmente, disse não poder precisar o valor envolvido. `Nós apenas sabemos que estávamos à espera de fundos, porque na verdade os requisitamos, mas não podemos dizer exactamente quanto dinheiro era, porque a nossa responsabilidade só começa quando a Alfa Segurança nos dá o dinheiro, por isso estamos em iguais circunstâncias´, disse Gaspar.
Não foi possível contactar o comandante da Alfa Segurança.
NOTÍCIAS - 14.11.2006

Um comentário:

IO disse...

É aqui, nos números da Educação, que se vê que a diferença em relação ao tempo colonial!, abraço, IO.