quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Ronda pela net - O assunto é Mulher Negra nas novelas que o Brasil exporta !

Denise Arcoverde, de 43 anos que, depois de muita insistência, Ted, o marido, "sequestrou" e levou para viver com ele em Estocolmo, na Suécia mas depois, o destino levou pra Washington, DC, nos EUA, onde muito feliz, tem por habito considerar seu blog "Síndrome de Estocolmo" a "pracinha" onde troca idéias, discute assuntos polêmicos ou fala abobrinhas.
O assunto polémico que li hoje fala da mulher negra e racismo no mundo das novelas e não só:
.
MULHER NEGRA NA MÍDIA: PREDADORA SEXUAL OU MÃE DE SANTO.
Vocês viram uma matéria no Fantástico sobre modelos negros no mercado brasileiro de moda?... ...
Estava mesmo pensando nessa exploração da sexualidade negra, ao ver alguns capítulos da PA-VO-RO-SA novela Duas Caras (olha que sou noveleira, assisto quase tudo, mas essa está na lista das absolutamente insuportáveis).
A tal novelinha, entre muitos outros preconceitos de arrepiar (professores, universitários e qualquer pessoa que tenha lutado contra a ditadura militar são mostrados como canalhas, oportunistas ou figuras ridículas) acaba sendo um bom exemplo do que é o imaginário brasileiro em relação às mulheres negras, segundo o qual, só existem duas opções na vida para elas.
Elas são jovens, gostosas, predadoras sexuais: a empregada que quer ser madrinha de bateria; a empregada que vive levando cantada do filho do patrão (foto e video ao lado... o sonho do Barretinho) ou duas amigas que só pensam em arrumar um namorado nos condomínios da barra.
E se envelhecem, elas viram mães de santo (que já se encarregaram de matar, pra ser substituída pela jovem gostosona,...) e empregadas "de confiança" da mocinha branca e desamparada.
Se quase toda mulher de meia idade, no Brasil, já é descartada dos meios de comunicação, imagine as negras, são completamente invisíveis. Enquanto elas são over-sexualizadas na juventude, depois de uma certa idade, são tratadas como seres assexuais e desaparecem das novelas e filmes. Até voltar, como velhas sábias ou empregadas de confiança.
Atrizes brancas têm sempre um papel garantido, independente da idade, tem lugar pra Renata Sorrah, Suzana Vieira, Marilia Pera, Beth Faria e até Maríiia Gabriela. Pobres ou ricas, são personagens que têm um mínimo de complexidade ou alguma história.
O post ilustrado com videos aqui !

Um comentário:

Denise Arcoverde disse...

Olá, Jaime! obrigada pela citação em seu blog! eu tenho enorme interesse e carinho por toda comunidade de países lusofônicos, especialmente os africanos. Muito bom o seu blog! um grande abraço!