segunda-feira, 29 de junho de 2009

Portugal-Douro-Peso da Régua: Em exposição no Matadouro Municipal, O CORETO DO JARDIM ALEXANDRE HERCULANO!

(Clique na imagem para ampliar. Imagem original daqui)

É irónico. Mas é real e triste em simultâneo, pois o Coreto do Jardim Alexandre Herculano de saudosa memória e de tantas histórias e inesquecíveis momentos musicais escritos no tempo e no passado da bela cidade de Peso da Régua, no Douro vinhateiro em Portugal, apodrece abandonado lá pelo velho matadouro municipal de Godim.

Alertado pelo "movimento", que sinto justo, de alguns conterrâneos inconformados com o triste e lacónico fim dado ao antigo Coreto, aqui deixo palavras recebidas que me permito transcrever e também um apelo ao Senhor presidente do Munícipio da Régua para que reveja com atenção e carinho o assunto. Afinal, o hoje não existiria sem passado... E este Coreto do Jardim Alexandre Herculano merece respeito e ser preservado (o que não deve ser assim tão caro) porque faz parte do passado e das queridas lembranças que orgulham e emocionam muitos de nós, "vareiros" que estimamos a cidade da Régua e acreditamos veementemente em seu futuro.

  • O CORETO: No Jardim Alexandre Herculano (de saudosa memória), frente à Câmara Municipal há muitos anos existiu um belo coreto, onde diversas bandas de música ali se exibiam, nas Festas do Socorro, perante a atenção de inúmeros apreciadores, claro que, com o desaparecimento do jardim, o mesmo sucedeu ao coreto, constando, depois, que se encontrava a “descansar”, no Matadouro Municipal, às intempéries, prevendo-se que a sua “saúde” não seja das melhores.
    Acontece que, com a nova Câmara, esta, em nosso entender, deve retirar o coreto, e colocá-lo em lugar visível, talvez na Alameda dos Capitães, para que possamos, nas próximas Festas do Socorro, ouvir as bandas musicais. - Fernando Guedes/Noticias do Douro.

  • O CORETO NA RÉGUA: Durante muito anos, existiu no então jardim Alexandre Herculano, em frente à Câmara Municipal de Peso da Régua, - até que alguém teve a infeliz ideia de o fazer “desaparecer” - um artístico Coreto, que serviu, durante anos a fio, as Festas do Socorro, os entusiastas pela música, para que se deleitassem a ouvir as bandas que ali actuavam. Em Novembro de 2005 tivemos oportunidade de chamar à atenção da então eleita Câmara Municipal, que dentro de dias iria tomar posse, para este “desaparecimento” mas não surtiu, até hoje, qualquer efeito e, assim, com as Festas de Nossa Senhora do Socorro “à porta”, vimos (novamente) relembrar o assunto, pois o Coreto merece, para que tenha um lugar visível como sempre teve, para satisfação de todos. Claro que, durante todo este tempo em que está a “morar noutras bandas”, deve necessitar de uma grande reparação, dadas as intempéries que por ele têm passado. Que alguém se recorde dos serviços que o Coreto prestou e tome as devidas providências para contentamento de todos quantos dele ainda se recordam! Esperamos que, com este novo reparo, o Coreto não fique novamente no esquecimento e apareça a entidade que tenha consideração com o que aqui escrevemos. - Fernando Guedes/Notícias do Douro.

  • Blogue "O Coreto Alexandre Herculano" que dinamiza a AAC-Associação dos Amigos do Coreto - Aqui!

8 comentários:

B.A. disse...

Se fosse uma "discoteca" ou uma salada de chuto, não faltavam apoios governamentais para a recuperação e manutenção.
O Património para esta "gente" não vale. O que conta são as tecnologias da propaganda e a paranóia futurista!

Abraço,

B.A.

gotaelbr disse...

A ver vamos se ainda haverá salvação para o "coreto" abandonado, tal o estado de deterioração a que o deixaram chegar.
Abraço, Branquinho.

A C R disse...

As notícias sobre o Coreto são desoladoras.
Está colocado no meio do lixo, entre uma banheira velha e um tractor desactivado.
Serve de encosto a uns cabos eléctricos, a cobertura está podre e talvez seja possível que algum artista com boa vontade (de trabalhar), consiga recuperar a estrutura. Se isto não for feito rapidamente, teremos mais um exemplo, como tantos outros neste País que é nosso de resolução dos problemas por razões de "força maior", ou como eu costumo dizer, problemas que o tempo há-de resolver.

Régua - ACR

Armando Corte Real disse...

Vão ser construídas 3 novas rotundas na Régua, em breve.
Que tal uma tentativa, a efectuar por pessoas que conheçam bem quem decide (o que não é o meu caso, embora esteja a tentar ajudar), no sentido de reinstalarem o Coreto numa dessas Rotundas?
Numa delas então, ficaria espectacular...

Teresa Vaz Oliveira disse...

Região linda linda e que conheço bem.
É pena certas coisas estarem ao abandono e o coreto que deve ter sido tão giro!

Vania Maria Di Nubila disse...

sim !!!!!
Na realidade e na Règua.

MIR* disse...

do Villa Régula

Anónimo :
14/7/09 13:53
Não haverá assuntos mais importantes para se discutir?

Em vez de perguntarem pelo Coreto, porque não fazem a seguinte pergunta?

Onde estão as nossa urgências?

Um coreto é coisa antiga, a Régua precisa de se modernizar.

Por acaso, agora estava ali a olhar para umas panelas antigas, que foram as primeiras panelas que a minha mulher cozinhou para mim, estou a pensar em fazer uma revoluçao cá em casa porque quero as panelas antigas que saudades.


Anónimo :
14/7/09 19:10
Renegar o passado e hipotecar o futuro é a actual política autárquica.
O obscurantismo e a imbecilidade política leva a que sejam feitos comentários como os anteriores.
Já agora sugeria ao anónimo das 14/7/09 13:53, que renegasse também a sua mulher, pois além de velha está caduca.
Tenham juízo, preservem o passado para podermos construir um futuro melhor.
O que seríamos nós se vivessemos só do presente. Uns autómatos, como quem nos governa( autarquia) actualmente?

MIR*

Anônimo disse...

Embora não se deva perder tempo com "anónimos", pois normalmente são frustados mal resolvidos e cagões e complexados, sugiro que o tal "Anónimo 14/7/09 13:53", coloque as "panelas", a "digª esposa" velhas e até sua "figura", em exposição lá no matadouro.
Poderão assim, ter ainda alguma serventia pública.
Claro que sem desprimor para o histórico e tradicional Coreto que tem valor e não merece estar por lá.

Marques Fonseca - Vila Nova de Gaia