domingo, 19 de julho de 2009

Ronda pela net: Cabaret at The Moçambique

Andando pela net encontrei hoje no "Soul Safari":

""Uma bela manhã, em outubro de 1955 Antonio Amaral chegou a Joanesburgo vindo de Lourenço Marques, incapaz de compreender uma única palavra da lingua local. Apesar das dificuldades linguísticas comprou um restaurante nesse mesmo dia, em local modesto na Simmonds Steet - Joanesburgo onde começou a servir refeições com pratos recheados de qualidade em sabor e condimentados a piri-piri. Em fins de 1958, mudou-se para o atual endereço em Noord Street, e é para comemorar o primeiro aniversário deste novo restaurante, "O Moçambique", que apresenta especialmente esta "gala cabaré" de artistas importados de Portugal:

  • Elsa Vilar é uma das cantoras mais populares em Portugal. Depois de apenas dois anos no showbusiness, ela agora é uma estrela com início invejável e uma reputação que transforma em sucesso tudo que apresenta. - Salve aqui e depois escute! (formato mp3 - 2,81 MB)
  • Maria Adalgisa ensaiada pelo grande cantor português Tomas Alcaide é uma soprano excelente que dá côr à musica folclórica de Portugal, sendo igualmente proficiente em composições clássicas. - Salve aqui e depois escute! (formato mp3 - 3,29 MB)
  • Moniz Trindade é um dos principais intérpretes do mundo do 'fado-canção'. Nascido em Lisboa, a casa do 'fado', é procurado em todo o Portugal e Espanha para apresentações nos palcos, televisão e rádio. Conhecido e bom compositor é autor de tudo que canta. - Salve aqui e depois escute! (formato mp3 - 1,91 MB)
  • David Pantoja é o instrumentista do grupo. Com acompanhamentos brilhantes de acordeão dá sabor autêntico às canções portuguesas. - Salve aqui e depois escute! (formato mp3 - 6,68 MB)

O diretor musical de "O Moçambique" é Benny Baker, pianista britânico de nascimento e líder da banda. Embora mais conhecido na África do Sul por suas gravações tipo "pop", Benny é um brilhante expoente da "Latin American and Continental dance music". Pouco tempo antes de vir para a África do Sul, dirigiu algumas das mais destacadas boates da Europa e, por duas temporadas, a Orquestra da famosa "Palm Beach Casinos" em Cannes, França.""( from the original liner notes of the album “Cabaret at The Moçambique” Gallotone GALP 1067)

Acrescento - É bom salientar que o texto acima, adaptdo para português, se refere a fatos ocorridos entre 1955/58 aproximadamente. Não se trata de "saudosismo" ou "nostalgia", como determinadas figuras e tendências intelectualóides obtusas, auto intituladas progressistas(?), conhecidas também por seu oportunismo descarado, subserviente ao "políticamente-correto", tentam "diminuir" idiotamente quando se evoca o passado. Trata-se sómente de documentar e divulgar com fidelidade, sem sofisma, a beleza e arte da música popular portuguesa levada além fronteiras lusas, praticada e vivenciada no tempo, na História e na África colonial sim senhor, mas África colonizada de forma diferente, ou como quer que apelidem, do status político-económico-social repleto de defeitos, injustiças, miséria, corrupção, contradições, etç. que a dominam atualmente.

  • E, "de bandeja", o nosso sempre respeitado e conhecido luso-moçambicano João Maria Tudela com o Joe Kentridge Trio... - Salve aqui e depois escute! (formato mp3 - 3,51 MB)

- Com a devida vénia e créditos a Soul Safari - Music treasures from Africa.

Nenhum comentário: