sábado, 17 de novembro de 2007

Guerra Colonial em África - Série documental «A Guerra» - III

Cabo Delgado foi palco também desta peça dramática da história colonial que compoê a série documental «A Guerra», realizada por J. Furtado e que vem sendo transmitida pela RTP1.
O documentário, que percorre de forma cronológica 13 anos de conflitos nas antigas colónias portuguesas, resulta de uma «pesquisa bastante aprofundada com recurso a muitas fontes para dar uma visão global dos acontecimentos», explicou Joaquim Furtado à Agência Lusa.
Após imensos anos de tanta "lenda" mal contada às jovens gerações dos povos envolvidos e falsos "mitos" fabricados por conveniências políticas, surge a esperança que a verdade da História Colonial Portuguesa seja reposta com imparcialidade justa, transparente e a confiança de que sejam derrubados do pedestal imerecido, muitos "heróis de barro" auto-proclamados e falsificados.
Os primeiros nove episódios da série vão sendo apresentados de 16 de Outubro a 11 de Dezembro de 2007. Os restantes irão para o ar, na RTP 1, em 2008, ainda sem previsão de data.
Para quem acompanha, aqui fica o roteiro para os episódios da primeira parte da série:
  • Massacres da UPA - 16 de Outubro de 2007 - 1. Os ataques da UPA a fazendas e povoações do norte de Angola (cinco a seis mil mortos, colonos brancos e bailundos seus empregados) contados pelos que os fizeram. Resposta portuguesa, inicialmente com os civis praticamente sozinhos a organizarem-se em milícias. Êxodo das mulheres e crianças, também homens, para Luanda e Lisboa. Morte dos primeiros militares.
  • "Rápidamente e em força" para Angola - 23 de Outubro de 2007 - 2. Assalto às prisões de Luanda. Resposta leva o terror aos muceques. Deposto o ministro da Defesa, Botelho Moniz que, sintonizado com os EUA, tinha uma opinião diferente sobre o futuro das colónias. Salazar manda as Forças Armadas, "rapidamente e em força", para Angola.
  • Violência do lado português - 30 de Outubro de 2007 - 3. Resposta portuguesa aos massacres da UPA. Episódios desconhecidos sobre a violência da parte portuguesa. Partida para norte das primeiras grandes colunas militares, em 13 de Maio de 1961.
  • Nambuangongo - 6 de Novembro de 2007 - 4. Criação do Corpo de Voluntários. Operação Viriato, para a reconquista de Nambuangongo, é "reconstituída" através de filme e grafismo 3D. Relato das operações da Pedra Verde, Quipedro e Serra da Canda, com as quais os portugueses retomam o domínio sobre o norte angolano.
  • Indígenas e assimilados - 13 de Novembro de 2007 - 5. O início da contestação, os indígenas, os assimilados, o trabalho forçado, os castigos corporais. Falam antigos chefes de posto que aplicaram castigos corporais. Resposta às pressões internacionais com medidas governamentais de natureza económica. Incentivo à emigração através de colonatos brancos em Angola e Moçambique.
  • Pidjiguiti e Mueda - 20 de Novembro de 2007 - 6. Como viviam os colonos: tranquilidade e desenvolvimento. Insatisfação com Lisboa. Apoio, lá, como cá, a Humberto Delgado. A formação, em Lisboa, de líderes como Cabral, Neto, Mondlane, Pinto de Andrade. Massacre de Pidjiguiti, na Guiné. Nova versão sobre o que se passou em 1964, em Mueda, Moçambique, dada pelos que dispararam.
  • Baixa do Cassange - 27 de Novembro de 2007 - 7. Massacre da Baixa do Cassange, contando com entrevista, não filmada, com Teixeira de Morais, um dos capitães enviados para reprimir a greve dos camponeses do algodão. Primeiros tiros na Guiné, dados pelo MLG de Kankoila Mendy, entrevistado no programa. Revelações sobre o projecto de um triângulo atlântico, envolvendo Angola, Brasil e Lisboa, partilhado em esferas do poder. Demissão do ministro do Ultramar, Adriano Moreira.
  • Frente da Guiné - 4 de Dezembro de 2007 - 8. Ataque do PAIGC ao posto de Tite abre, na Guiné, a segunda frente de guerra. Salazar aceita conversar com autonomistas, mas recua. Em Angola, a UPA transforma-se em FNLA, movimento que começa a combater o MPLA. As forças militares e militarizadas prestam vassalagem à política ultramarina de Salazar, aclamado na Praça do Comércio em Lisboa. Entre a multidão, uma americana, casada com Eduardo Mondlane, que virá a ser o líder da Frelimo.
  • Frente em Moçambique - 11 de Dezembro de 2007 - 9. Inicialmente contrário à luta armada, Mondlane inicia a guerra em 1964, depois de um outro movimento ter atacado em Nangololo e morto um padre holandês. Na Guiné, a operação Tridente mobiliza 1200 homens durante 71 dias, mas não inverte o sentido da guerra, cada vez mais intensa. E cada vez mais presente na vida do país. O 10 de Junho, Dia de Portugal, passa a ser de homenagem aos militares mobilizados.

In jornal "Público" de 18 de Outubro de 2007 - Fontes: Moçambique para Todos, Moçambique Guerra Colonial e Arquivo do ForEver PEMBA.

Nenhum comentário: