quinta-feira, 3 de abril de 2008

Eleições no Zimbabwe - Diz o ditador Mugabe: Daqui não saio...daqui ninguém me tira !

Presidente do Zimbábue nega renúncia e vai disputar segundo turno:
.
Mesmo sob pressão da oposição, Robert Mugabe nega que vá renunciar ao cargo. O partido governista avisou, nesta quinta-feira, que irá com mais força para o segundo turno das eleições gerais.
BandNews, Quinta-feira, 03 de abril de 2008 - 12h42
  • Veja com a narração de Millena Machado da BandNews Aqui !
  • Alguns post's deste blog sobre o ditador Mugabe e sobre a situação política no Zimbabwe - Aqui !

Última hora - Zimbabué: Dois jornalistas detidos! Harare, 03 Abr (Lusa) - Dois jornalistas estrangeiros, acusados de participar ilegalmente na cobertura das eleições do Zimbabué, foram hoje detidos num hotel de Harare, declarou um porta-voz da polícia. No hotel York Lodge, que foi cercado pela polícia, encontram-se numerosos jornalistas estrangeiros. ER. © 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A. 2008-04-03 20:55:02

Um comentário:

Salpicão disse...

Se repararem,as alternativas apresentadas pelos pensadores desde a Antiguidade Clássica,conferem diferentes dimensões aos Regimes Políticos.
Essas dimensões estão directamente relacionadas com a estabilidade dos mesmos ao longo dos tempos.Quando os fundamentos do regime político se restringem a duas dimensões, como em Aristóteles, em que a estabilidade da Politeia é precária e é ameaçada pelos dois lados pela Oligarquia ou pela Democracia/Demagogia, afectada ou desafectada pela "classe média", vemos que, rectrospectivamente falando, só há estabilidade quando entra no campo das ideias uma vertente transcendental, mitológica, religiosa ou humanamente inexplicável.
Há um paradoxo, como em Marx, em que o Estado se coopta a si próprio numa autofagia que só é possível quando todos os homens são iguais e perfeitos (talvez deuses)o que subjaz a epistemologia suprema, o conhecimento absoluto em que não há conflitos e todos os fenómenos naturais ou sociais,ou são amorfos, ou são energia pura (talvez a Luz de S.Agostinho),isto é, são não-fenómenos.Aqui não há "classe média". Ou como no Antigo Regime em que Deus pode explicar todos os acontecimentos e é panaceia de todos os males e glorificado por todas as Graças, frutos da realidade de um povo ignorante mas remediado, e satisfeito com o seu humilde Fado, em que tudo se explica num contexto transcendental ou esotérico e em que também não há "classe média".
Parece haver aqui 3 saídas já ensaiadas, e se (nós, ocidentais)continuamos nesta Era a acreditar em Democracia, é porque reconhecemos as nossas imperfeições e limites, talvez a reboque dos Puritanismos e do Actualismo no binómio Democracia=Progresso da América.
Para isso,louvamos o princípio do contraditório, a que subjazem todas as instabilidades próprias da condição humana,porque aceitamos naturalmente que pode haver duas opiniões sobre o mesmo facto.Isto não pode acontecer, quer com Marx, em que os Homens são deuses,
quer para regimes oriundos da "Divina Providência", em que os homens são servos e muito menos ainda em Regimes dominados por Déspotas/Charlatães onde só há uma lógica.Portanto, em que a Verdade já foi alcançada, qualquer que ela seja.
Podemos presumir que estamos numa época em que preferimos a instabilidade e a alternância racionais, mas que talvez já estejamos nessa encruzilhada que se materializa no "choque de civilizações" talvez por pertencermos agora a um "Mundo de todos".
Mugabe, limitou-se a acabar com a classe média e o resultado está à vista.

Salpicão
www.canibalesco.blogspot.com