sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

CÓLERA & CÓLERA EM PEMBA...

Pemba: Populares do bairro Eduardo Mondlane, onde se localiza a praia do Wimbe, na cidade de Pemba, destruíram sábado passado três tendas que haviam sido montadas para o tratamento de cólera, cuja eclosão foi confirmada a partir de 6 de Janeiro corrente, sob a acusação de que por via aquele centro que a doença é pretensamente distribuída pelas autoridades da Saúde. Pelo menos quatro mulheres estão a ser investigadas pela Procuradoria da República, naquele ponto do país, segundo revelou ao “Notícias” Ahamada Momade, adjunto do responsável daquela zona residencial.

Com efeito, segundo a fonte, uma multidão enfurecida destruiu e deitou fogo às tendas, ao mesmo tempo que eram procurados os responsáveis do bairro e da unidade residencial para ajuste de contas, por terem permitido a instalação do centro de tratamento de cólera na zona.

Amisse Bakili e Ahamada Momade tiveram que se refugiar na terceira esquadra da Polícia, que funciona na praia do Wimbe, para evitar que os manifestantes irados lhes molestassem.

“Era muita gente. Primeiro foi à casa do secretário da unidade aos insultos e depois acabou por queimar o centro. O problema está com as autoridades da justiça. Trata-se de má compreensão das pessoas que acham que a cólera é trazida pela Saúde, infelizmente”, disse Ahamada Momade.

O bairro Eduardo Mondlane, segundo dados a que o “Notícias” teve acesso, é o segundo mais afectado pela doença que se arrasta desde Dezembro passado, mas que foi clínica e laboratorialmente confirmada a partir de 6 de Janeiro em curso, tendo causado três óbitos, com 77 doentes cumulativos e 21 internados até às 7 horas de quarta-feira passada.
O director provincial da Saúde, em Cabo Delgado, Mussa Ibraimo Agy, disse que a tendência de alastramento da doença é crescente, pelo que o Governo provincial reuniu-se na quarta-feira com diferentes sensibilidades político-sociais, religiosas e associativas da cidade de Pemba, sob direcção do secretário permanente, João Ribàué.

No encontro foi constatado que a cólera encontrou condições propícias para a sua propagação, designadamente más condições de saneamento da cidade, bairros, nas famílias, sobretudo naquelas que não possuem latrinas, bem como a continuação do fecalismo a céu aberto, prática quase generalizada nas populações junto à costa marítima.

Os bairros de Cariacó, Eduardo Mondlane, Ingonane, Paquitequete, Muxara e Chibuabuari que até ontem tinham casos de cólera. Entretanto, um responsável do bairro de Chiwiba disse terem recebido cloro para o tratamento dos poços e outras fontes de água, mas que não estão a distribuir com medo de represálias dos populares, à semelhança do que aconteceu no bairro vizinho Eduardo Mondlane.

A Saúde, de acordo com Mussa Ibraimo Agy, está a fazer a parte que lhe compete, controlando a epidemia e evitando ao máximo óbitos de quem entra no centro de tratamento da doença, mas está consciente que sem a colaboração de todos nada pode debelá-la.
Soubemos que já foram montados três pontos de controlo de passageiros na cidade de Pemba, no rio Megaruma, limite entre os distritos de Ancuabe e Chiúre, bem como junto a Lúrio, que divide as províncias de Nampula e Cabo Delgado.

As autoridades municipais, por seu turno, segundo o seu Presidente, Agostinho Ntauale, não têm mãos a medir, tendo já instituído um novo horário de recolha de lixo e destruição dos montes acumulados pelos bairros residenciais.
- Pedro Nacuo, Maputo, Sexta-Feira, 16 de Janeiro de 2009, Notícias.

3 comentários:

Picaretas da Távola Redonda disse...

Olá Forever Pemba!
Falo aqui do Acre, no Brasil em plena Selva Amazônica, do outro lado do Atlântico. Gostaria de parabenizar pelo blog. Estava pesquisando em relação ao analfabetismo em Moçambique e nos demais países de língua portuguesa. Gostei muito do blog... e vou acompanhar mais.
Quero também apresentar o meu blog, que escrevo com amigos sobre assuntos diversos: literatura, cotidiano, politica, cinema, música, atualidades... o edereço é www.picaretasdatavola.blogspot.com
O nosso conteuo se aproxima muitas vezes do de vocês aqui.
É isso... cordiais saudações
Felipe

gotaelbr disse...

Gostei da visita Felipe... Não estamos assim tão longe... o mundo virtual nos aproxima. Acompanharei também o "Picaretas da Távola" a quem desejo sucesso e objetivos realizados.
Abraço.

Anônimo disse...

O velho ditado " mais vale prevenir para não ter que remediar", encaixa aqui que nem uma luva!

Haja limpeza nas ruas, recolha de lixo obrigatório, águas potáveis que infelizmente alguns deles não têm, saneamento obrigatório e tudo isso se evitaria...
Segunto venho lendo na imprensa moçambicana e não só, os lixos não se recolhem, os contentores estão a abarrotar, as águas não são tratadas, ainda se evacua no mato e nos arteais das praias - isto tudo contribue e de que maneira para a propagação da doença.
Mas, para isso, lá estarão os senhores sentados nas cadeiras do poder, para decidirem.
Anel