quarta-feira, 15 de abril de 2009

Moçambique, a Portuguesa Santista, o jornalista Gouvêa Lemos e os tempos do abominável apartheid...

(Imagem original daqui)

Não podia deixar de citar neste blogue. Afinal vale como documento histórico pois refere a estimada e briosa Portuguesa Santista de tantas emoções e alegrias, o Moçambique que é razão deste espaço e ensejo de muitos leitores que aqui vêm, o jornalista luso-moçambicano, com raízes lá no meu Douro Gouvêa Lemos e um acontecimento que relembra belos momentos de uma visita de irmãos de idioma e de esporte ao Moçambique colonial do ano já distante de 1959, mas também um incidente lamentável originado numa África do Sul racista, à época!

Do blogue Lanterna Acesa transcrevo, se me permite o "jovem" e ilustre José Paulo Moreira de Carvalho Gouvêa Lemos:

""Tempos de apartheid - Tenho esta fotografia como uma das recordações do meu Pai como jornalista (repórter, cronista, diretor de redacção).

Foi quando da visita a Lourenço Marques, Moçambique, em 1959, do clube de futebol brasileiro Portuguesa Santista.

O que eu não sabia é que nessa excursão da Portuguesa por África, em especial pelas colônias portuguesas, também haviam passado pela África do Sul, onde iriam jogar na cidade do Cabo, e que acabaria por haver um incidente diplomático entre o Brasil e a então África do Sul, porque estes últimos não aceitaram que três dos jogadores da Portuguesa, por serem negros, participassem da partida.

Os jogadores da Portuguesa, com o apoio do governo brasileiro, já no vestiários, depois de já terem passado por humilhações no porto por terem negado inicialmente o desembarque a estes três jogadores, e ao ficarem sabendo que estes estariam proibidos de participar, negaram-se a jogar e retiram-se do estádio e do país.

Com esta decisão passou a ser o Brasil um dos primeiros países, tendo na época o Juscelino Kubitschek como Presidente da República, a tomar uma posição internacional contra o regime do apartheid.

Assista à reportagem exibida no “Esporte Espetacular”, da TV Globo:

2 comentários:

Zé Paulo disse...

Caro Jaime,

Voce sempre prestegiando Moçambique, o Douro e os amigos. Aqui voce fez os três ao mesmo tempo.
Se visitar a "Lanterna" verá que em consequência deste post, que aqui transcreveu, acabei por receber um simpático contato do Instituto comÁfrica.org. Gostei do conteúdo do mesmo, em cima dos propósitos desta organização, mas em especial a conclusão que tiram do perfil do Gouvêa Lemos.
Receba um grande abraço do seu amigo,
Zé Paulo

gotaelbr disse...

Obrigado Zé Paulo, também por consentir meu "abuso" ao transcrever seu excelente post. Entre a qualidade de textos que o Amigo por habito produz, repito que não poderia ficar indiferente ao tema. Seu Pai, Moçambique e a Portuguesa Santista merecem ser referidas em qualquer tempo...
Um abraço também para si,

Jaime