terça-feira, 18 de março de 2008

Assalto a missão católica no Chiúre deixa ferido missionário português. II

Maputo - A TribunaFAX, terça-feira 18 de Março de 2008, N° 674Raulito Raul, um menor de 15 anos, pertencente a uma quadrilha de assaltantes à mão armada, que na última sexta-feira, assaltou a Paróquia Santa Isabel, ferindo um missionário e o segurança que veio perder a vida no mesmo dia, está a contas com as autoridades policiais do distrito de Chiúre, em Cabo Delgado.
Segundo dados avançados pelo comandante distrital da Polícia, em Chiúre, Matias Jacob, o assassino confessou o crime. Raulito foi detido após ter sido atingido a tiro num confronto com a polícia.
Consta que Raulito é bem conhecido pelas suas façanhas nos meandros do crime, apesar da sua tenra idade.
  • Assalto a missão católica no Chiúre deixa ferido missionário português - Aqui !

Governo de Portugal solicita "protecção acrescida".

Maputo - MediaFax, terça-feira 18de Março de 2008, Nº 3998 - Portugal pediu às autoridades moçambicanas “protecção acrescida” para a missão católica assaltada Sexta-Feira, em que um missionário português ficou gravemente ferido, embora esteja “já livre de perigo”, disse ontem o secretário de Estado das Comunidades, António Braga, citado pela agência de Notícias LUSA.
“O pedido às autoridades moçambicanas foi feito através da Embaixada de Portugal”, precisou António Braga, que acrescentou existirem mais cidadãos portugueses na missão, situada na província de Cabo Delgado.
António Braga adiantou que o missionário português, gravemente ferido no assalto, já recebeu a visita de pessoal da Embaixada de Portugal em Maputo, que lhe manifestou disponibilidade para o apoio que venha a ser necessário, e salientou que “felizmente, está livre de perigo”.
O missionário João Gonçalves, de 78 anos, encontra-se presentemente no hospital Central de Maputo, devendo ter ainda que ser submetido a intervenções cirúrgicas.
Em Maputo, em declarações à Agência Lusa, o responsável pela congregação dos Missionários da Boa Nova - a que o missionário pertence -, padre Anastácio Jorge, relatou que João Gonçalves chegou a Maputo inconsciente, acompanhado por um enfermeiro do hospital de Pemba .
“O médico que o atendeu no hospital Central de Maputo disse logo que o estado dele era grave. Ficou na reanimação do hospital Central”, disse o padre dos Missionários da Boa Nova.
Anastácio Jorge referiu que o missionário, há cerca de 40 anos em Moçambique, está agora “fora de perigo e consciente” e foi, entretanto, transferido para a clínica do hospital Central.
Contudo, acrescentou, “tem os braços muito estragados e vai ter que ser operado”, situação que “está a ser avaliada pelo médico”.
Além dos golpes que sofreu nos membros, acrescentou o padre Anastácio Jorge, o ataque de que foi alvo o missionário português provocou-lhe ainda danos na visão, cuja extensão está ainda a ser avaliada.
João Gonçalves ficou gravemente ferido num assalto à missão católica de Chiúre, em Cabo Delgado, em que foi morto um segurança moçambicano.
De acordo com o responsável pela diocese de Pemba, Agostinho Adriano, tudo se terá passado na madrugada de Sexta-Feira, no momento em que um grupo de assaltantes entrou na Paróquia de Santa Isabel.
“Foi um assalto de noite. Os homens, armados de catanas, atacaram primeiro o guarda e mataram-no”, disse Agostinho Adriano, referindo que depois feriram o missionário português com golpes “nos braços e nas pernas”.
O missionário português foi transferido de Chiúre para Pemba e daí para Maputo, a capital do país.
Fonte ligada à investigação disse à Lusa que o móbil do assalto foi a tentativa de roubo de painéis
solares.

Nenhum comentário: